E(L!)eições-SP – Jilmar Tatto: ‘A Prefeitura será parceira na valorização dos clubes na sociedade’

Marina Bufon*
·6 minuto de leitura


Filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT) desde a década de 80, Jilmar Tatto, de 55 anos, leva em seus planos de governo à Prefeitura de São Paulo muito do que aprendeu nos anos de luta, permeada por vários cargos políticos: Secretário Nacional de Comunicação do partido (atual), secretaria Municipal do Abastecimento (SEMAB) na gestão de Marta Suplicy (2001), Secretário de Transportes (2002), entre outros.

Em 2013, foi nomeado secretário de Transportes de Fernando Haddad, quando implantou mais de 400 quilômetros de ciclovias e 400 quilômetros de faixas exclusivas de ônibus. Entre suas propostas, a ciclovia se faz presente, além de outras pautas, a exemplo do esporte como ferramenta para socialização de jovens e implementação de atividades físicas para melhor utilizar sedes de clubes paulistas durante a semana.

Jilmar Tatto é o sexto entrevistado do LANCE! no especial de eleições municipais de São Paulo. As entrevistas começaram na última sexta-feira (30) e vão até 12 de novembro. Para realizar a série, o L! enviou oito perguntas iguais para todos os concorrentes que vêm fazendo campanha a respeito dos seus projetos e desafios com os quais se depararão no esporte na capital paulista. A ordem de publicação será de acordo com o recebimento das respostas pelo L!.

Confira abaixo a entrevista com o candidato do PT:

LANCE! - Por que deseja se candidatar à Prefeitura de São Paulo?
Jilmar Tatto - Vim para São Paulo ainda menino e, apesar de todas as dificuldades da vida na periferia, a cidade me acolheu muito bem. Cresci em meio ao povo daqui, sofrendo com as desigualdades sociais e batalhando junto com a população por uma vida melhor. Como tive a oportunidade de entrar para a vida pública, dediquei todos os meus esforços no sentido de minimizar essas diferenças e consegui muita coisa: como Secretário do Abastecimento, acabei com a bolacha seca, levando comida de verdade às escolas, além de criar o programa Leve Leite; nos Transportes, ajudei a criar o Bilhete Único, os corredores de ônibus, as ciclovias, entre tantas outras medidas que melhoraram a vida da nossa gente. Hoje, com toda essa experiência e conhecimento de São Paulo, tenho certeza de que sou a pessoa mais capacitada para gerir a cidade e reverter os retrocessos sociais provocados pelo governo do PSDB.

L! - Qual será a relevância do esporte em seu plano de governo? Haverá alguma preocupação que o desenvolvimento do setor nas categorias de base e de alto rendimento?
Nosso programa considera tanto esporte e lazer que trabalham o lúdico e a inclusão social, quanto os clubes que cuidam do esporte de alto rendimento. O trabalho desenvolvido nas unidades da Secretaria de Esportes e Lazer, CEUs e parceiros privados priorizará o esporte educacional para crianças e adolescentes, com iniciação esportiva, turmas de aperfeiçoamento e turmas de treinamento, preenchendo o tempo livre da criança e do adolescente com atividades de esporte, lazer e cultura, fora do horário da escola, principalmente nas periferias de São Paulo.

L! - Qual será o critério para a escolha do seu secretário de esportes?
O critério técnico vai pautar a escolha de todos os meus secretários. Sem dúvida, a pessoa que assumirá a gestão de esportes terá vasta experiência no setor, capacidade administrativa e, claro, valores alinhados ao nosso projeto de governo.

L! - Caso eleito, como lidará com os impactos da pandemia de Covid-19? Qual é o seu planejamento para assegurar que a população possa gradativamente retomar suas atividades físicas com segurança em relação aos índices do vírus?
Entre as 13 propostas emergenciais previstas em nosso programa para o enfrentamento da pandemia - que incluem a Renda Básica Cidadã e a adequação de edificações estatais para cumprir as normas de segurança sanitária - está também a implementação de iniciativas voltadas às bicicletas, com a ativação de ciclofaixas operacionais e a facilitação do deslocamento de ciclistas e pedestres nos pontos mais críticos do sistema viário. Também destacamos a importância do desenvolvimento do esporte para crianças e jovens em atividades ao ar livre, em espaços abertos, para que não haja aglomeração, enquanto esperamos a vacina contra a Covid-19; e a necessidade de monitoramento e afastamento da atividade de qualquer pessoa no início dos sintomas.

L! - Pensa em promover campanhas de incentivo para que as pessoas do "grupo de risco" façam exercícios físicos em suas residências?
Sim. Nosso programa inclui aulas de atividades físicas abertas à população nas redes sociais e plataformas digitais - inclusive como proposta de geração de emprego nesse período de pandemia - e também em praças e parques ao ar livre, com os devidos cuidados sanitários, além de propostas visando a uma alimentação saudável, mais saúde e bem-estar.

L! - A pandemia afetou sensivelmente a rotina dos grandes clubes da cidade. Acredita que a Prefeitura possa contribuir de alguma forma para que as agremiações se recuperem economicamente? Como?
A Prefeitura pode contribuir e será parceira no resgate da valorização dos clubes para a sociedade. A maioria dos clubes da cidade é subutilizada durante o horário comercial nos dias da semana. De forma controlada e em parceria com a Prefeitura, poderão ser desenvolvidos programas de atividades físicas, Esporte e Lazer para a população nesses horários, com aulas, orientação e monitoramento de professores de educação física, técnicos de modalidades esportivas e ex-atletas, todos devidamente capacitados com formação profissional em Esporte e Lazer, cumprindo, assim, seu papel social e gerando empregos. As aulas poderão ser abertas, inclusive para os sócios dos clubes. As atividades serão amplamente divulgadas.

L! - Como pretende traçar o planejamento para a volta de público aos estádios e ginásios na cidade?
Com a devida cautela, seguindo as orientações da Secretaria de Saúde e protocolos de segurança. O retorno ocorrerá com evoluções gradativas de público, limitação do número de pessoas, considerando a capacidade máxima do local, mantendo a distância de 1 metro, com orientação para o uso de máscaras e álcool em gel em locais estratégicos e medição de temperatura nas entradas. Os colaboradores serão devidamente capacitados, uma vez que durante as atividades sociais é muito comum as pessoas voltarem aos hábitos antigos.

L! - Caso eleito, o autódromo de Interlagos seguirá sendo gerenciado pela Prefeitura ou haverá concessão à iniciativa privada?
Nós resistiremos à intenção de privatização do Autódromo de Interlagos José Carlos Pace, atualmente administrado pela Secretaria Municipal de Turismo (SMTur). O autódromo é um dos principais circuitos da América Latina, abrigando a Fórmula Vee, passando pela Stock Car até as máquinas de Fórmula 1; a pista paulistana também possui etapas de motovelocidade, como a Super Bike. Na pista auxiliar, que fazia parte do antigo traçado, continuam sendo realizados atividades e treinos de escolas de pilotagem, testes de montadoras e provas de arrancada no novo trecho, recentemente reformado. Entendemos que esse espaço deve continuar sob a administração municipal por ser de interesse público.

QUEM É ELE
Nome completo:
Jilmar Augustinho Tatto (PT)
Número na eleição: 13
Data e local de nascimento: 25 de junho de 1965, em Corbélia (PR)
Vice: Zarattini

*Sob supervisão de Vinícius Perazzini