E(L!)eições-RJ - Suêd Haidar: 'Vamos investir em talentos do esporte da nossa cidade'

Jonas Moura e Vinícius Faustini
·4 minuto de leitura


Uma governança cidadã que seja capaz de propor inovações é vista com bons olhos para Suêd Haidar traçar os rumos do esporte no Rio de Janeiro caso seja eleita. Candidata do Partido da Mulher Brasileira à Prefeitura, ela projeta maior incentivo à prática esportiva e o investimento em jovens talentos.

Décima-quarta candidata do especial do LANCE! sobre eleições municipais na Cidade Maravilhosa, Suêd também diz que está atenta à maneira como a pandemia de Covid-19 afetou os clubes. Além disto, também planeja mudanças na forma como as instituições olímpicas são geridas.

O L! encerra nesta quinta-feira sua série com os candidatos à Prefeitura do Rio de Janeiro. Foram enviadas dez perguntas - iguais, para todos os 14 concorrentes que vêm fazendo campanha - a respeito dos seus projetos e desafios com os quais se depararão no esporte na capital fluminense. As entrevistas foram divulgadas em ordem alfabética.

LANCE!: Por que deseja se candidatar à Prefeitura do Rio de Janeiro?

Suêd Haidar: Porque os cariocas precisam de alguém que governe com a atenção da mulher. A Prefeitura precisa de alguém com coragem de combater a corrupção e governar com o povo.

L!: Qual será a relevância do esporte em seu plano de governo? Haverá alguma preocupação com o desenvolvimento do setor nas categorias de base e de alto rendimento?

O esporte será integrado ao lazer, educação, saúde, meio ambiente e aos espaços públicos para que tenhamos motivação para a prática esportiva, a qualidade de vida. Quanto às categorias de base, tenho projeto de investir em jovens talentos do esporte da nossa cidade, assim como pensar com o setor, pelo conselho científico de governança cidadã, propostas de inovação para o nosso potencial esportivo.

L!: Qual será o critério para a escolha do seu secretário de esportes, se houver?

Que tenha reconhecimento no setor, nome limpo, relações com investidores e organizações internacionais dos esportes.

L!: Caso eleita, a senhora lidará com os impactos da pandemia de Covid-19. Qual é o seu planejamento para assegurar que a população possa gradativamente retomar suas atividades físicas com segurança em relação aos índices do vírus?

Aplicaremos as medidas do governo estadual, seguindo as diretrizes federais orientadas pela OMS.

L!: Pensa em promover campanhas de incentivo para que as pessoas do "grupo de risco" façam exercícios físicos em suas residências?

As pessoas do grupo de risco devem ser protegidas. A OMS recomenda que todas as pessoas vulneráveis fiquem em casa e se afastem de aglomerações.


L!: A pandemia afetou sensivelmente a rotina dos grandes clubes cariocas. Acredita que a Prefeitura possa contribuir de alguma forma para que as agremiações se recuperem economicamente? Como?

Junto com os clubes e os investidores, o conselho científico de governança cidadã estudará mecanismos de amenizar as perdas para relance e resiliência do setor.

L!: Como pretende traçar o planejamento para a volta de público aos estádios e ginásios na cidade?

Um benchmarking mundial de planos de retomada das atividades esportivas será feito. Em seguida, todas as categorias e o conselho científico de governança cidadã farão um estudo cruzado desse benchmarking com a realidade brasileira para definir mecanismos de retomada local das atividades.

L!: Qual é a opinião da senhora sobre a construção de um autódromo na Floresta do Camboatá, considerada o último remanescente de Mata Atlântica em terras planas na cidade, para receber grandes eventos do automobilismo, como a Fórmula 1?

Sou contra o desmatamento. As reservas devem ser preservadas para qualidade de vida da população. Existem locais na Zona Norte onde poderá ser instalado. Quero lembrar que os países desenvolvidos não desmataram para criar autódromos. Por que nós faremos? Veja os exemplos de Dubai, Paris, Londres e Tóquio.

L!: Como a senhora avalia a gestão do legado olímpico? Se eleita, quais os planos para uso das instalações olímpicas que estão sob gestão da prefeitura, como a Arena Carioca 3 e o Parque Radical de Deodoro?

Avalio que não há gestão e a população não é beneficiada pelo legado. Pretendo reunir no Conselho de governança cidadã todas as categorias e as organizações da vida associativa.

L!: Qual deve ser o modelo de gestão do Maracanã e dos equipamentos esportivos no seu entorno?

Todos os modelos até aqui testados pela Prefeitura entre gestão pública e parceria privada falharam e promoveram a corrupção. Quero inovar chamando todos os clubes e investidores para juntos desenvolvermos uma forma de gestão para todos os estádios da cidade.

BATE-BOLA

Pratica ou praticou algum esporte?

Pular corda.

Time de coração: Vasco da Gama

Ídolo no esporte: Garrincha

Qual é sua lembrança mais forte ligada ao esporte?

A Copa de 1970.

Qual legado pretende deixar à cidade do Rio de Janeiro na área do esporte?

Uma rubrica inédita de uma governança esportiva com a participação cidadã, contra a corrupção, com legado desfrutado pelo povo e de recuperação do papel do estado.

QUEM É ELA

Nome completo: Suêd Haidar Nogueira (PMB)
Data e local de nascimento: 30/11/1958 - São Luís (MA)
Vice: Jessica Natalino (PMB)
Ocupação declarada: Outros
Lista de bens declarados: Nenhum bem cadastrado