Dynamo Dresden, da 2ª divisão alemã, volta à quarentena após dois jogadores testarem positivo

AFP
Torcida do Dynamo de Dresden em um jogo da Copa da Alemanha em 2016
Torcida do Dynamo de Dresden em um jogo da Copa da Alemanha em 2016

O Dinamo Dresden, da segunda divisão do futebol alemão, decretou quarentena para todos os seus jogadores e comissão técnica após detectar dois novos casos positivos para COVID-19 e não poderá disputar seu primeiro jogo da retomada do campeonato, programada para daqui a oito dias, anunciou o clube neste sábado.

Todos os jogadores, técnicos e funcionários do Dynamo Dresden terão de passar 14 dias isolados depois dos testes positivos de dois jogadores, cujos nomes não foram informados pelo clube, apesar de declararem que não apresentam sintomas.

Dessa forma, o Dynamo de Dresden se torna o primeiro clube dos dois campeonatos profissionais da Liga Alemã de Futebol (DFL) que não poderão retomar a temporada na data prevista, 17 de maio, quando o lanterna da segunda divisão do futebol alemão teria que viajar para Hanover para disputar a 26ª rodada.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"O fato é que não poderemos treinar ou participar de partidas nos próximos 14 dias", disse o diretor esportivo do clube, Ralf Minge, citado no comunicado.

Em uma primeira série de testes, quando a equipe treinava em pequenos grupos, um jogador da equipe havia testado positivo para COVID-19 e as autoridades de Dresden decidiram isolar apenas esse jogador a partir de 3 de maio.

Em uma segunda rodada de testes, realizada em 4 de maio, nenhum resultado positivo foi revelado e por isso a equipe retomou os treinos coletivos na última quinta-feira.

A Alemanha é o país europeu, dos grandes campeonatos, que parecia mais próximo até agora de poder completar a temporada de futebol, com portões fechados a partir de 16 de maio.

Para isso, foi elaborado um protocolo sanitário e médico muito exigente, com base em dois pontos: controles sistemáticos para isolar quem testa positivo para o novo coronavírus e medidas draconianas de proteção nos treinos, viagens e estádios, antes, durante e depois dos jogos.

Dos 1.724 exames realizados na primeira rodada de testes, apenas 10 foram positivos, anunciou a DFL na segunda-feira passada.

Leia também