Dybala comenta comparações com Messi e não descarta futuro no Barça

Aos 23 anos de idade, Paolo Dybala é um dos principais jogadores do futebol argentino na atualidade. Protagonista na Juventus, da Itália, o jovem atacante se prepara para enfrentar o Barcelona pelas quartas de final da Liga dos Campeões. Voltando de lesão, Dybala concedeu uma entrevista conjunta a quatro jornais espanhóis e italianos sobre o confronto e não descartou algum dia se transferir para o time catalão.

“Era difícil quando estava na série B com o Palermo pensar o que ia acontecer três anos na frente. É difícil saber o que acontecerá amanhã, ainda mais daqui a três anos. Trato de aproveitar cada dia com a Juventus. Não sei o que vai acontecer no futuro, nunca se sabe. Vai ser a realização de um sonho (esse jogo), porque sempre gostei do jeito de jogar do Barcelona com esses grandes jogadores”, afirmou Dybala com sorrisos no rosto ao Mundo Deportivo, Marca, Tuttosport e ao La Repubblica.

Se recuperado de uma lesão, Dybala já atuou nos noventa minutos da partida deste fim de semana, contra o Chievo, e ganhou confiança para o embate na Champions. O jovem também falou sobre sua relação com Messi. “É um jogador que admiro e respeito muito, mas todos queremos ganhar. Quero ganhar minha primeira Liga. Sabemos que chegamos, acredito eu, em melhor forma que eles, mas temos que respeitá-los pelo que fizeram”, acrescentou.

Nas oitavas de final, o Barcelona perdeu o primeiro jogo para o PSG por 4 a 0 e precisava de um milagre no jogo de volta, no Camp Nou. Depois de abrir 2 a 0, os espanhóis sofreram um gol e ficaram em posição ainda mais difícil. Foi então que Neymar resolveu aparecer e a equipe buscou o resultado e a classificação nos minutos finais.

Substituto de Messi na Argentina após o camisa 10 levar uma punição da Conmebol, Dybala marcou contra o Chievo e comemorou muito ao lado do centroavante Higuain. “O que acontece é a sensação de que jogamos juntos há cinco anos, cada vez nos entendemos melhor. E também, nos vemos fora, vamos juntos treinar e essa sintonia também vai para o campo”, revelou.

Dybala também comentou sobre as comparações feitas entre ele e seu ídolo. “As pessoas têm que entender que eu não sou Messi, sou Dybala. Sei que existem comparações, mas quero ser eu, não ele. Sempre darei o melhor de mim para minha equipe e seleção. Só há um Messi, assim como só há um Maradona. Substituir jogadores como eles não é fácil. As pessoas têm muitas expectativas sobre mim e isso é uma pressão grande que devo levar”, disse.

O jogador da Juventus também falou sobre ter Daniel Alves, ex-jogador e ídolo no Barcelona, no lado italiano. “Conversamos muito. Ele conhece muito o Barcelona e eu lhe perguntei algumas coisas sobre como jogam seus companheiros de Barça. Ele deu muitas assistências para Messi e trato de aproveitá-lo ao máximo porque é um grande jogador, tanto na defesa quanto no ataque”, finalizou.

Juventus e Barcelona realizam o primeiro jogo das quartas de final nesta terça-feira, às 15h45, em Turim, na Itália. As equipes voltam a se enfrentar na quarta da semana seguinte.