De Dunga a Tite, os principais pontos da classificação da Seleção para a Copa do Mundo

Goal.com

A noite desta terça-feira(28) foi histórica para o Brasil que após vencer o Paraguai tornou a primeira seleção a carimbar uma vaga na Copa do Mundo da Rússia em 2018. Com três a zero no placar e uma ajudinha do Peru, que derrotou o Uruguai, a Canarinho conquistou a classificação com quatro rodadas de antecedência.

Algo impensável há um ano, quando o Brasil empatou com Uruguai e Paraguai e ficou em situação delicada na tabela de classificação. Na ocasião, o trabalho de Dunga era contestado, Neymar apontado como um garoto mimado e a atual geração chamada de "perdida". O foco se voltou para a preparação para os Jogos Olímpicos que começou na Copa América Centenário, outra competição fracassada do Brasil.

Desde que por ironia do destino, o Peru, que ajudou o Brasil a carimbar a vaga na Copa nesta terça, foi o responsável pela eliminação da Seleção Brasileira da competição centenária, em junho, muita coisa mudou. Dunga deu lugar a Tite que conquistou oito vitórias em oito jogos somando 24 pontos, o mesmo número de pontos da Colômbia, atual vice-líder das Eliminatórias.

Sejamos justos, do elenco que vinha sendo convocado por Dunga para o que Tite vem trabalhando poucas coisas mudaram. O atual treinador voltou com o "camisa 9" e apostou em Gabriel Jesus que deu muito certo. 

TIME BASE DE TITE

GFX Brasil Tite
GFX Brasil Tite

TIME BASE DUNGA

GFX Time Dunga
GFX Time Dunga


(Escalação usada por Dunga nas Eliminatórias)

A diferença, como muitos jogadores fizeram questão de frisar, estava no clima, um clima muito mais leve e amistoso, diferente daquele clima de guerra que Dunga fazia questão de implantar na Seleção. O famoso "nós contra todos". 

A conquista do ouro olímpico foi um fator importante na caminhada de Tite, mesmo de longe, fez parte daquilo, primeiro abrindo mão de comandar a equipe e depois, auxiliando Rogério Micale. A atmosfera criada durante a competição, principalmente na reta final e o resgate do orgulho do torcedor brasileiro com a Seleção foi fundamental. 

Em seguida, um importante duelo contra o Equador fora de casa, a primeira partida de Tite no comando da Seleção e um tabu de 33 anos para derrubar. 33, o número com que Gabriel Jesus se consagrou no Palmeiras e foi exatamente dele, a aposta de Tite, que saiu o caminho para a vitória. Uma estreia impressionante. 

Gabriel Jesus Peru Brasil Eliminatorias 2018 16112016
Gabriel Jesus Peru Brasil Eliminatorias 2018 16112016


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

Na segunda partida, uma vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia o suficiente para colocar o Brasil na vice-liderança e dar a tranquilidade que faltava no início do ano. Vitórias contra Bolívia e Venezuela colocaram a Seleção na ponta das Eliminatórias. Desde então, os olhos do mundo sobre a Canarinho mudaram, de uma Seleção que vivia na ressaca do 7 a 1, o Brasil passou a se impor novamente, como a pentacampeã que é.

Na décima primeira rodada, o maior desafio de Tite até então, encarar a Argentina de Messi, no Mineirão, palco do fatídico 7 a 1. Com o emocional impecável, o Brasil fez uma grande partida sufocando os hermanos desde o primeiro minuto e aplicando uma goelada por 3 a 0 com show de Neymar, Coutinho e companhia.

Naquele momento, Neymar já não era mais o garoto mimado e sim um craque que joga em prol de sua equipe e como consequência do enorme talento brilha também individualmente. Paulinho, contestado no início, mostrou ser peça importante do esquema e a troca de Willian, que não atravessa um grande momento, por Coutinho, também foi crucial para que a Seleção reencontrasse a boa fase.

Coutinho Brasil Paraguai Eliminatorias 2018 28032017
Coutinho Brasil Paraguai Eliminatorias 2018 28032017


(Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP/Getty Images)

Em campo, uma Seleção que diminuiu os espaços, adiantou a marcação desde o atacante até os zagueiros, priorizou a movimentação e tem no seu meio-campo o ponto mais forte da equipe. 

O Brasil terminou o ano vencendo o Peru e começou 2017 com a missão de manter o bom desempenho do ano passado e encarando, logo de cara, o Uruguai, vice-líder e até então time com uma grande campanha assim como a Canarinho. No estádio centenário lotado, o Brasil voltou a mostrar a sua força.

Viveu uma experiência que Tite ainda não conhecia na Seleção, começar uma partida perdendo, mas mostrou tranquilidade para, mesmo diante de um grande adversário, não se desesperar e lutar pelo resultado. Conseguiu uma vitória fantástica ficando há um passo da Rússia.

Paulinho Uruguai Brasil Eliminatorias 23032017
Paulinho Uruguai Brasil Eliminatorias 23032017


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

Contra o Paraguai, outra vez uma postura interessante, o time de Arce abriu mão do jogo e se fechou na marcação criando certa dificuldade para a Canarinho. O Brasil, que não conseguia penetrar na defesa teve tranquilidade para girar a bola e achar os espaços para chutar de longe. No segundo tempo, o jogo ficou um pouco mais aberto. 

Oito jogos, oito vitórias, um técnico querido, um time consistente e o passaporte carimbado para a Rússia. Um início tão arrasador que nem mesmo Tite esperava. A pergunta agora é como conter a euforia e trabalhar para que o Brasil não perca o foco.

Leia também