Maradona defende Bauza e pede mais pressão sobre jogadores da Argentina

Buenos Aires, 29 mar (EFE).- Diego Maradona defendeu na quarta-feira a continuidade de Edgardo Bauza como técnico da seleção argentina, mas pediu colocar "pressão" em alguns jogadores, que na sua opinião, "não podem ter uma queda brusca de rendimento" como na partida de terça-feira, contra a Bolívia, onde Lionel Messi não pôde jogar por ter sido suspenso pela Fifa.

"O que mais me impressionou da seleção foram os jogadores novos, jogadores que nunca jogaram juntos. E que os rapazes não foram notados na camisa. Isso é o mais grave", afirmou ex-jogador, em entrevista para a rádio "Rivadavia", da Argentina.

Após a última derrota de 2 a 0 para os bolivianos, em La Paz, Maradona lembrou que "hoje" a seleção de seu país estaria na repescagem para a Copa do Mundo da Rússia, e ressaltou que a Argentina "não pode deixar de estar em um Mundial tão prestigiado".

"E a verdade me deu muita pena ver que não tivemos reação, que jogamos mal. As linhas estavam separadas. E cada vez que precisava tocar a bola, o jogador mais próximo estava a 30 metros" afirmou.

O ex-jogador é contra os pedidos de saída do treinador e apostou que Bauza "conseguirá a classificação" para depois tomar as "medidas necessárias".

"Agora é um ferro quente que tem Bauza na mão. Ele terá que aguentar", disse Maradona, criticando a atuação argentina no último jogo.

"Não éramos um time de futebol. Isso me deixou muito mal. É preciso avaliar um monte de coisas no futebol argentino. É preciso dar prioridade as pessoas que conhecem o futebol", argumentou.

Diego afirmou que há jogadores "para armar uma boa equipe" e que eles "não podem cair tanto de rendimento na seleção", disse. EFE