Dudu diz que Flamengo é "time a ser batido" e explica por que voltou a cobrar pênaltis

Goal.com

O atacante Dudu, do Palmeiras, disse em entrevista ao programa Bola da Vez, da ESPN Brasil, que o Flamengo vai ser o time a ser batido quando a bola voltar a rolar na temporada 2020. A equipe rubro-negra faturou a Libertadores e o Brasileirão em 2019 e continuava em boa fase antes da paralisação do futebol por causa da pandemia do novo coronavírus.

“O Flamengo é o time que todo mundo vai querer vencer porque ano passado, da Copa América em diante, não há dúvida de que foi o melhor time. Todos vão querer ganhar deles, e a gente no Palmeiras não é diferente. Em 2018, o Palmeiras era o time que todo mundo queria vencer. Todo mundo dava algo a mais quando ia jogar contra a gente. Todo ano tem esse time”, analisou o camisa 7.

Dudu elogiou o elenco do rival carioca, mas também valorizou a qualidade do grupo palmeirense. Ele atribuiu a arrancada flamenguista em 2019 à chegada do português Jorge Jesus, ao mesmo tempo em que exaltou Vanderlei Luxemburgo, que voltou ao time paulista neste ano.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Pra mim, o que mudou para eles foi o treinador. Ele chegou, fez um trabalho diferente, que ninguém vinha fazendo aqui, e mudou o time do Flamengo. A gente também tem um grande treinador, vencedor, que treinou a seleção brasileira, e grandes jogadores, com capacidade de ir para a seleção. Basta a gente estar numa semana boa de trabalho para fazer frente ao Flamengo e a qualquer outro time", apostou.

Dudu revelou que uma conversa com Luxemburgo o convenceu a voltar a bater pênaltis nesta temporada - desde 2017 que ele havia decidido não se encarregar das cobranças. O treinador disse que espera que o atacante tenha mais protagonismo - e que isso pode inclusive levá-lo à seleção brasileira.

"Se coloco uma coisa na minha cabeça, acabou. Falei que não bateria mais pênalti e não bati. No tempo normal, nas cobranças... Quando tinha decisão por pênalti, todo mundo ficava me cobrando, mas eu já tinha colocado na cabeça que não bateria. Poderia o Papa chegar em mim para bater e eu não bateria”, disse o ídolo do Verdão.

“O Luxemburgo chegou e falou: ‘Dudu, quero que você faça mais gols, preciso de você motivado e, se tiver pênalti, você vai bater’. E é o que está acontecendo. Mesmo se errar, vai ser eu. Então, precisamos ter confiança do treinador e da torcida. Não é só porque errou um ou dois pênaltis que, no outro jogo, não deve bater”, concluiu.

Leia também