Duílio admite que Corinthians pode processar empresa por calote, mas diz que 'dinheiro não mudará a vida'

·2 min de leitura
Parceria entre Corinthians e Taunsa foi firmada no fim do ano passado (Foto: Felipe Szpak/Ag. Corinthians)


O Corinthians deve acionar judicialmente a Taunsa, empresa de agronegócios que firmou uma parceria com o Timão no fim do ano passado para arcar com os salários do meia Paulinho, mas não cumpriu com o acordo.

> GALERIA - Veja o retrospecto do Corinthians contra o Boca Juniors
> TABELA - Confira e simule os jogos da Libertadores
> GUIA - Tudo sobre o Timão na Libertadores

Em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira (25), o presidente corintiano Duílio Monteiro Alves disse que a empresa foi notificada para cumprir com os pagamentos e caso persista em não realizar o clube entrará com uma ação a fim de ser ressarcido.

- Não é multa, eu vou para Justiça, a Justiça vai cobrar. Você faz notificação, se não recebe em tantos dias, faz nova notificação, depois mais uma notificação. Se não receber, entra na Justiça. É isso que estamos fazendo. Não sei se já foi a última (notificação). Se não foi, está para ir, aí tem um prazo de não sei quantos dias para fazer a ação. A gente espera receber. O Corinthians vai continuar tomando as medidas possíveis e necessárias para que o acordo seja cumprido – disse Duílio.

Mesmo assim, o presidente do Timão minimizou o desfalque financeiro e afirmou que no balanço financeiro que será entregue nesta segunda-feira (25) ao Conselho Deliberativo apresenta superávit.

- Esse assunto foi entregue ao departamento jurídico, que já vem há algum tempo tomando as medidas previstas em contrato. Com um dinheiro desse tamanho, estaríamos mais confortáveis com ele em caixa, mas não é esse dinheiro que vai mudar a vida do Corinthians. Vocês já tiveram acesso de forma não-oficial, mas hoje apresentamos nossas contas ao Conselho Deliberativo com superávit, diminuição da dívida, resultado muito bom, trabalho de todas as diretorias – destacou o cartola.

Incomodado com as perguntas sobre o tema, Duílio reforçou que o Timão é vitima na situação.

- Se não pagar, vai para a Justiça, e nós vamos receber de alguma forma. O Corinthians não recebeu, não fez nada errado. Antigamente, diziam que devia a marmita. Hoje devem para a gente. O que está de errado? Todo dia, faz meses. Se não pagarem, o Corinthians vai fazer tudo o que é possível e previsto em contrato – afirmou o presidente.

Mesmo com o desfalque da Taunsa, o Corinthians segue pagando em dia o salário do meia Paulinho, que desde que voltou ao clube já fez 18 jogos e marcou quatro gols.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos