Dream Team vive pesadelo e perde para França na estreia das Olimpíadas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
TÓQUIO (JAPÃO), 25/07/2021 - Olimpíadas de Tóquio 2020 / Esporte / Basquete / Basketball - Jogo entre EUA/USA  x  França,  em Saitama Super Arena, na capital japonesa, neste domingo (25). (Foto: Yuri Hiroshi/Agência Enquadrar/Folhapress)
TÓQUIO (JAPÃO), 25/07/2021 - Olimpíadas de Tóquio 2020 / Esporte / Basquete / Basketball - Jogo entre EUA/USA x França, em Saitama Super Arena, na capital japonesa, neste domingo (25). (Foto: Yuri Hiroshi/Agência Enquadrar/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Dream Team dos Estados Unidos viveu seu pior pesadelo na estreia do basquete nos Jogos de Tóquio-2020. A equipe perdeu neste domingo (25) para a França por 83 a 76. O jogo foi disputado em Saitama, no Japão.

Os Estados Unidos são os atuais tricampeões olímpicos e venceram 15 dos 19 torneios de basquete masculino da história dos Jogos. A equipe não perdia um jogo em Olimpíadas desde Atenas-2004. O retrospecto, porém, não entrou em quadra.

Com desempenho irregular durante a preparação, os Estados Unidos haviam perdido amistosos para Nigéria e Austrália. Nem as vitórias sobre Argentina e Espanha serviram para diminuir a desconfiança dos torcedores na equipe. Uma vitória na estreia seria fundamental.

A França, por sua vez, repetiu o desempenho que já havia tido no Mundial da China, em 2019, quando eliminou os norte-americanos nas quartas de final ao vencer por 89 a 79. O time francês acabaria com a medalha de bronze naquele torneio.

Essa mentalidade de que era possível triunfar sobre os favoritos foi repetida neste domingo.

Após tropeços na fase de preparação, os Estados Unidos apostaram em uma defesa consistente para brecar o ímpeto ofensivo de Rudy Gobert e Evan Fournier. Assim, os Estados Unidos dominaram o primeiro quarto, com vitória por 22 a 15. Com o mesmo espírito coletivo, terminaram o primeiro tempo vencendo por 45 a 37.

A França voltou melhor após o intervalo. Com a mão calibrada de Fournier, o time francês foi se aproximando no marcador até virar. O ala, que atua no Boston Celtics, da NBA, terminaria o jogo como o cestinha da partida, com 28 pontos.

Os comandados do técnico Gregg Popovich, por sua vez, mostraram fragilidade defensiva e pouca inspiração no ataque. Em toda a partida, os norte-americanos acertaram apenas 10 de 32 tentativas da linha de três pontos.

Assim, o terceiro período terminou com vantagem dos europeus por 62 a 56, mostrando que não bastaria o talento individual de Kevin Durant e Jrue Holiday para a vitória norte-americana.

Os Estados Unidos começaram o quarto período marcando sob pressão. Os franceses ficaram 2 minutos e meio sem pontuar. Mesmo assim, continuaram na frente, já que o ataque dos Estados Unidos foi praticamente inoperante. A exceção foi Holiday, recentemente campeão da NBA com o Milwaukee Bucks.

Com a força ofensiva do armador, os norte-americanos viraram para 69 a 63.

A vantagem, porém, não durou muito. Impulsionados por Batum, Fournier e De Colo, o time francês retomou o controle do jogo. No final, em desvantagem, os Estados Unidos insistiram em tiros de três pontos, que teimaram em não cair. E a vitória, surpreendente para muitos, foi francesa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos