Drama e superação em família: Barrichello relata experiência emocionante com os filhos nas 500 Milhas de Kart

Carlos Costa
·3 minuto de leitura

Vice-campeão mundial pela Ferrari nas temporadas 2002 e 2004 da Fórmula 1, Rubens Barrichello segue competindo em alto nível mesmo aos 48 anos. Tanto que, no último fim de semana, cravou a pole para as 500 Milhas de Kart, no kartódromo da Granja Viana.

Barrichello nas 500 Milhas de Kart

Barrichello nas 500 Milhas de Kart<span class="copyright">Rodrigo Ruiz</span>
Barrichello nas 500 Milhas de KartRodrigo Ruiz

Rodrigo Ruiz

O filho do ídolo brasileiro seguiu: "Quando estamos correndo nós três, a gente dá a nossa vida lá, porque a gente tem amor um pelo outro. Então, a gente dá tudo, porque, quando chega no box, quer ver o sorriso na cara dos outros."

"Não é como estar correndo com um amigo. Quando você está correndo com a sua família, você quer dar o seu sangue mesmo, então acho que foi positivo. Sempre tem uma pressão de estar correndo com o Rubens Barrichello, porque ele bota a gente na pole, mas foi muito gostoso tê-lo ao lado e ter o Dudu ao lado também para estar junto, independentemente do resultado. A gente deu um abraço e ano que vem a gente está de volta."

Já Barrichello destacou: "O meu sonho é que eles se divirtam. O meu sonho é ganhar, mas aprender, com os erros, para uma vida, não só para o esporte. Então, as quebras da vida, os perrengues da vida, nos ensinam, a cada dia, a sermos melhores."

"Para mim, é isso: pegar eles ali e falar assim: ‘Dudu, cara, você deu tudo que você podia’. ‘Pô, pai, puxa vida...’. Como se eu fosse conseguir alguma coisa com o volante quebrado... 'Não, filho, não ia conseguir. Tenho muito orgulho de você e do seu irmão’."

"As pessoas que me conhecem sabem o quanto eu dou de amor para essas crianças, mas eles estavam muito tristes por não terem completado a prova. Mas não tinha jeito, caiu o volante. Quando o Dudu saiu (para a pista, no stint final da prova), quebrou a parte de baixo."

"Quando quebrou a parte da direita, ele ‘não virava mais’, aí ele não conseguia fazer a curva de alta. Começou a ficar perigoso até o momento em que ele não conseguia mais virar para nada, tanto que ele bateu na entrada do box porque o kart não virava", relatou Rubens.

"É uma pena, mas a verdade é que foi, das minhas participações, a mais emocionante. Eu nunca fiquei tão nervoso na largada, porque parece que eu estou carregando uma coisa de família, de coração... Então estou muito feliz e lisonjeado pela prova."

Barrichello ainda elogiou a organização do evento: "A gente tem que estar muito feliz que, no meio da pandemia, a gente ainda tenha conseguido realizar as 500 Milhas, num formato diferente, um pouquinho mais curto, até por que tudo teve muita dificuldade nesse ano."

"Estou muito feliz de ter participado com meus filhos, independente da situação. A gente passou por um pouquinho de tudo. Os três ali se abraçando, chorando... Eles se cobram demais pelo paizão correndo...", completou Rubinho, que busca seu segundo título da Stock Car e disputa a etapa de Goiânia neste fim de semana. A cobertura completa você confere no Motorsport.com.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1, MotoGP e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Barrichello relembra em detalhes o dia em que Senna socou Eddie Irvine na Fórmula 1

Podcast #076 – Hamilton x Schumacher: a comparação entre os campeões da F1

Your browser does not support the audio element.

.