Drama e evolução moldam 'reforço' do Corinthians: 'É um Léo diferente'

Gabriel Carneiro

Léo Artur foi uma promessa badalada das categorias de base do Corinthians, campeão da Copa São Paulo de 2012 como um dos personagens principais e promovido pelo técnico Tite ao elenco profissional logo no ano seguinte. Apesar da boa projeção, o jovem jogador não conseguiu fazer frente a nomes como Emerson Sheik, Romarinho, Jorge Henrique e até Alexandre Pato. Jogou oito vezes pelo Timão, não marcou gols e em seguida foi emprestado uma, duas, três... seis vezes a clubes de menor expressão. Enfim, não seria absurdo dizer que a promessa estava perdida. Mas não foi assim que a história acabou.

- Eu sabia que meu momento no Corinthians ia chegar - diz o garoto, hoje aos 22 anos, em entrevista ao LANCE!.

Nesta quinta-feira, o Corinthians anunciou a reintegração de Léo Artur ao seu elenco profissional a pedido do técnico Fabio Carille. Depois de defender Guarani, Penapolense, Paysandu, Mogi Mirim, Oeste e Osasco Audax nos últimos três anos, o meia-atacante conseguiu destaque no Campeonato Paulista e agradou ao treinador. Com contrato válido até 2018, Léo diz que não é o mesmo jogador de 2012 e 2013 - e isso vale para suas características e também comportamento fora de campo.

- É um Léo diferente. Estou falando para todas as pessoas que reaprendi a jogar futebol e por isso o Corinthians me chamou de volta. Minha maior evolução foi no Audax, com o Fernando Diniz, quando evoluí muito jogando em outras posições e também nas coisas da vida. Eu aprendi bastante por ter sofrido muito - desabafa Léo Artur, antes de explicar seu drama pessoal, e principal combustível para a segunda chance no time em que foi revelado.





- Vou te contar uma coisa que poucas pessoas sabem: nesse último ano acabei perdendo meu filho, e por isso meu amadurecimento precisou ser maior. A perda dele fez eu enxergar coisas que não enxergava antes, porque me senti perdido. Pensei muitas vezes em dar um tempo na carreira, mas minha família, meus empresários e os psicólogos deram todo suporte que eu precisava. Fez um ano agora no dia 7 de abril, e eu só consigo pensar que isso não aconteceu à toa. Se aconteceu foi porque Deus quis, para me mostrar coisas novas e me fortalecer. Acho que a volta ao Corinthians é prova disso, porque através do ocorrido triste eu tive forças para lutar mais pelos meus objetivos.

Léo Artur perdeu seu filho, Leonardo Júnior, em 7 de abril de 2016, quando ainda jogava no Mogi Mirim. O menino de dois anos se afogou na piscina da casa da família em um acidente doméstico.

Motivado a não desistir da carreira, o atacante revelado pelo Corinthians conseguiu se reconstruir sob o comando de Fernando Diniz, primeiro no Oeste e depois no Osasco Audax. Apesar do rebaixamento à Série A2 do Estadual, o meio-campista foi considerado destaque da competição: foram 12 partidas, dois gols, duas assistências, média de 2,3 finalizações por jogo e 92,2% de passes certos, item em que foi o terceiro melhor em todo o Estadual.

- Lá não tem muito essa história de posição, mas eu era um jogador que vinha de trás, meio que um meia mesmo, um volante. No time do Corinthians de hoje eu poderia me encaixar nos dois esquemas. No 4-2-3-1 eu jogaria na linha de três, centralizado ou aberto. E quando joga no 4-1-4-1 eu poderia fazer a meia por dentro ou de beirada. Vamos ver o que o Fabio diz. Lá atrás quando eu estava começando ele era o auxiliar, e hoje ele está começando como técnico e eu estou voltando. Então ele já conhece o meu trabalho - diz o confiante jogador, sem medo de revelar o que o impediu de dar certo em 2013.

- Eu subi num momento errado. Tinha muita cobra no time. E os cobras eram embaçados. Pato, Emerson, Jorge Henrique... os caras não davam brecha pra ninguém. Mas trago lembranças boas, o Tite foi essencial. Quando fiz meu primeiro jogo como titular, contra o Náutico, ele me chamou, conversou, disse para eu ficar tranquilo, fazer o que sabia. É isso que vou tentar - explica.

PALMEIRAS? AGUARDE...









Um dos principais lances de Léo Artur no Campeonato Paulista foi contra o Palmeiras, com um gol de cobertura marcado diante de Jailson no Allianz Parque, no empate em 2 a 2 entre as equipes. De volta ao Corinthians, o meia-atacante já planeja repetir o lance. Veja o vídeo a partir de 2min55seg.

- Com certeza vou tentar. Tem que ter, ainda mais contra o Palmeiras. Eu tenho esse vídeo no celular, de vez em quando dou uma olhada pra relembrar - brinca o primeiro "reforço" do Corinthians para o segundo semestre de 2017.

E MAIS: