Dorival vê interferência política em protestos da torcida do Santos

Apesar da vitória de 2 a 0 sobre o Botafogo-SP, no último fim de semana, na Vila Belmiro, o elenco do Santos não vive um bom momento com a torcida. Após a derrota no clássico para o São Paulo, uma série de protestos foram direcionados os jogadores do Peixe. Para o técnico Dorival Júnior, as críticas efusivas ainda em começo de temporada estão acontecendo por interferência política, já que 2017 é um ano de eleição no clube.

“Tem muita participação política. É uma pena que torcedores do mesmo clube se deixem levar por uma situação como essa. Política tem que ser fora do gramado. Não com essa postura que vem tendo. Vai afetar a equipe, não atleta, treinador, preparador, afeta a equipe, a camisa que se defende, na teoria. Não é o papel do verdadeiro torcedor santista”, desabafou o comandante, em entrevista coletiva nesta sexta-feira, no CT Rei Pelé.

Após o triunfo do último sábado, os laterais Zeca e Victor Ferraz criticaram a torcida por meio de redes sociais. Além disso, Ricardo Oliveira também lamentou o ‘abandono’ dos santistas após os últimos resultados. Já Dorival chegou a conversar e pedir calma para alguns torcedores que estavam no setor social da Vila Belmiro.

“Houve uma situação que aconteceu, tomamos a liberdade de pedir tranquilidade aos 3 ou 4 em cima do banco. Isso acontece desde a primeira partida. Tomamos a liberdade de pedirmos tranquilidade. Ou que não venham mais a campo para ter esse tipo de atitude. Houve desequilíbrio, mas nada que vai interferir. Vamos fazer nosso melhor em campo em busca dos resultados. Teremos ano muito difícil, complicado, vocês sabem, esse lado político interfere às vezes, mesmo que tentemos apartar e fugir do que se passa na rua. Um ou outro fator pode fugir à normalidade. Nada mais que isso. Será sanado e amanhã estaremos totalmente concentrados, com o verdadeiro torcedor do nosso lado”, concluiu.