Dorival lamenta finalizações erradas, mas vibra com ‘agressividade’ do Santos

O Santos desta quinta-feira deu demonstrações claras de que pode voltar a ser aquele time ofensivo que a torcida se acostumou a ver nos últimos anos. Apesar de ter vencido o The Strongest pelo placar ‘magro’ de 2 a 0, na Vila Belmiro, pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores, o Peixe sobrou em campo e perdeu diversas oportunidades, principalmente no segundo tempo, quando tinha um homem a mais dentro de campo.

Empolgado com a boa apresentação da equipe, o técnico Dorival Júnior exaltou o poderio ofensivo da equipe, mas destacou os erros na hora de finalizar as jogadas.

“No penúltimo passe ou na finalização poderíamos ter tido atenção um pouco maior, talvez um capricho, fatalmente teríamos feito mais gols. Mas só perdemos chances porque criamos e isso é um passo importante. Em outros momentos tivemos dificuldades de criar, mas mantivemos a posse de bola, só que não com tantas infiltrações e finalizações. Hoje tivemos volume, fomos agressivos, intensos. As bolas começarão a entrar de forma mais natural, todos sabem fazer gols”, explicou o comandante, em entrevista coletiva após a vitória sobre os bolivianos.

Com o triunfo, o alvinegro chegou aos quatro pontos e lidera o grupo 2 da Libertadores. Agora, os santistas ‘viram a chave’ e focam no Campeonato Paulista. No próximo domingo, o Peixe encara o Palmeiras, às 18h30 (de Brasília), na Vila, pela nona rodada do Estadual.

E diferente do que acontece na Liberta, o Peixe vive uma situação complicada no Paulistão. Atualmente com 13 pontos conquistados, os comandados de Dorival Júnior ocupam a terceira posição do grupos D e estariam fora das quartas de final caso a competição terminasse hoje.

“É preocupante. Não imaginávamos não fazer pontos em dois jogos em casa. Buscamos pontos fora e não concretizamos os de casa. Isso causa preocupação. Teremos jogo importantíssimo no fim de semana. Os pontos que deixamos atrás podem ter um peso e temos que correr para que recuperemos os pontos que ficaram. Paulista é importante, não deixa de ser, sempre foi muito disputado. Continuamos pensando no campeonato, sim, e vamos à luta por uma das duas vagas. Temos certeza que, se tivermos méritos, iremos buscar pelo espírito de recuperação que estou sentindo”, concluiu Dorival.