Doria diz que privatizar Interlagos garantirá sequência do GP do Brasil

O prefeito de São Paulo, João Doria, voltou a falar sobre a privatização do Autódromo de Interlagos, que recebe o Grande Prêmio de Fórmula 1. O mandatário da cidade reiterou que a venda à inciativa privada contribuirá também para assegurar a continuidade da corrida no País, que esteve ameaçada na última temporada.

Leia mais:

Venda de ingressos para o GP do Brasil começa nesta quinta

“A privatização do autódromo é a garantia da continuidade da Fórmula 1. Eu entendo que Fórmula 1 é importante, mas com dinheiro privado, não com dinheiro público. E é perfeitamente possível que ela continue funcionando com dinheiro privado e com um autódromo privado”, declarou à agência de notícias Reuters.

Aliás, Doria exaltou que o ex-chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, já se mostrou interessado em participar do leição para a compra de Interlagos. Apesar de ainda não ter estimativa do valor, o prefeito de São Paulo acredita que o negócio será bem sucedido. Recentemente, Doria e Ecclestone já haviam se reunido na capital paulista para discutir o assunto. 

“Ele (Ecclestone) já manifestou interesse, Ele vai participar do leilão do autódromo. Tenho o sentimento também de que fundos internacionais vão participar desse leilão. Não tenho nenhuma dúvida de que nós vamos vender e vender bem o autódromo de Interlagos”, completou o prefeito, que deseja fazer mudanças no local, como a construção de um hotel e de um museu em homenagem a Ayrton Senna.

Ecclestone, porém, não confirmou que participará no leilão, e deixou sua participação em aberto. Além disso, o ex-chefão da F1 ainda exaltou que um possível comprador é a Liberty Media, empresa de mídia norte-americana, que recentemente comprou a Fórmula 1.

“Eu não disse nem ‘sim, eu vou comprar’ nem ‘não, eu não vou comprar’. Vamos esperar e ver. Mas eu acho que eles (Liberty Media) provavelmente irão pensar nisso”, afirmou Ecclestone.