Dono do PSG sai em defesa do Catar: "Não há hostilidade"

Em entrevista, dono do PSG, Nasser al Khelaifi, defendeu Catar e disse que o país é hospitaleiro. (Photo by Arife Karakum/Anadolu Agency via Getty Images)
Em entrevista, dono do PSG, Nasser al Khelaifi, defendeu Catar e disse que o país é hospitaleiro. (Photo by Arife Karakum/Anadolu Agency via Getty Images)

A Copa do Mundo do Catar tem sofrido diversas críticas relacionadas a censuras de manifestações LGBTQIA+ e também dos direitos das mulheres. Houveram diversos incidentes, como a jornalista brasileira que foi hostilizada no país. Mesmo com esses problemas de repercussões mundiais, Nasser al Khelaifi, dono do PSG, saiu em defesa do país.

"Não há hostilidade ou problemas com a lei e a ordem como você vê na Europa. Isso me deixa frustrado, as pessoas falam do Catar sem ter estado aqui, não entendo. Não somos perfeitos, cometemos erros, como todo mundo, mas nos desenvolvemos como nação e sociedade mais rápido do que nunca", disse o embaixador do Catar no exterior em entrevista ao jornal espanhol Marca.

Leia também:

O dono do PSG também disse que o Catar é um país formado por pessoas acolhedoras. "É algo incrivelmente inclusivo. A linguagem do futebol é universal, uniu a região árabe e todas as outras culturas. Está em nosso DNA acolher as pessoas, abrir nossos corações e lares para o mundo inteiro. É uma cultura diferente da Europa, mas o julgamento [do país] foi completamente desproporcional", disse Khelaifi.

Mbappé e novo estádio para o PSG

Na entrevista, Khelaifi abordou assuntos ligados ao PSG. O primeiro foi sobre Kylian Mbappé e uma possível saída do atacante. "Todo mês, toda semana e talvez quase todo dia eu tenho que responder a essa pergunta. Kylian acabou de renovar seu contrato e estamos todos felizes", afirmou.

Por fim, Khelaifi disse que está estudando a possibilidade de construir um estádio próprio para o PSG, deixando de lado a utilização do Parque dos Príncipes.

"Teríamos a intenção de ficar no Parque dos Príncipes, mas estamos estudando alternativas. O município evidentemente não pensa assim. Estamos discutindo com eles há cinco anos, estamos cansados ​​de falsas promessas. Queremos um estádio como o resto do os clubes, precisamos aumentar nossa renda, ter um estádio melhor e mais espaçoso para nossos torcedores", finalizou.