Domínio europeu: 94% dos jogadores das quartas atuam na Europa

Que a maioria dos jogadores da Copa do Mundo atua em solo europeu, não é novidade. Mas conforme a competição vai se afunilando, fica cada vez mais claro que a elite do futebol mundial está concentrada no Velho Continente. De acordo com um levantamento feito pelo GLOBO, 94% dos jogadores das seleções que avançaram às quartas de final atuam na Europa. E quase metade dos atletas restantes — 45% — está concentrada na Premier League e no Campeonato Espanhol.

O número poderia ser ainda maior não fosse a única zebra das oitavas de final: a classificação de Marrocos. Dos 11 jogadores que atuam fora da Europa ainda na disputa, seis jogam por países africanos (três deles no próprio país). Além deles, Weverton, Dani Alves, Everton Ribeiro e Pedro, do Brasil, e Franco Armani, da Argentina, completam a lista.

Conforme a competição avançou, foram prevalecendo as seleções com jogadores na elite do futebol mundial. No início do torneio, 72% dos jogadores atuavam no futebol europeu, número que cresceu para 86% nas oitavas.

A mesma coisa aconteceu na proporção de jogadores na Premier League. Ao todo, 158 atletas que atuam no campeonato foram convocados — equivalente a 19% do total. Nas quartas, 31% desfilam seu talento nos gramados ingleses. No ranking total, o Campeonato Brasileiro é o primeiro torneio não europeu, em 9º lugar, atrás de países como Holanda, Croácia e Bélgica, por exemplo.

Entre os oito seleções que avançaram às quartas, cinco são da Europa. Com a eliminação da Alemanha e da Espanha, entretanto, os dois clubes com mais representantes agora são Manchester City e Manchester United. Antes, os líderes eram o Bayern de Munique e o Barcelona, com 17 e 16 jogadores, respectivamente. Agora, sobraram sete e cinco de cada clube. Por outro lado, no começo do torneio, 16 jogadores do City e 14 do United estavam na disputa. Agora, ainda sobraram 12 do United e 11 do City.