Djokovic vence Shapovalov e conquista Masters 1000 de Paris pela quinta vez

AFP

O número 1 do mundo, Novak Djokovic, conquistou pela quinta vez o Masters 1000 de Paris neste domingo ao vencer (com parciais de 6-3 e 6-4) o canadense Denis Shapovalov (28º ATP), classificado após o abandono nas semifinais de Rafael Nadal (2º), que deixou a capital francesa sem o 'clássico' contra o sérvio.

'Djoko', que na segunda-feira vai ceder seu trono à frente do ranking da ATP a Nadal, só precisou de 65 minutos para superar Shapovalov, que estreava na final de um torneio Masters 1000.

"Me senti cada vez melhor e com mais confiança ao longo do torneio. Não perdi nenhum set, foi um grande torneio", declarou Djokovic pouco antes de receber o troféu das mãos do russo Marat Safin, tricampeão dessa competição (2000, 2002 e 2004).

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Estava com muita confiança, principalemnte nestes últimos três dias. É muito estimulante antes do Masters (ATP Finals, em Londres)", acrescentou o sérvio.

- Disputa acirrada com Nadal -

Em Londres (10-17 novembro) terá que recuperar os 640 pontos que vão separá-lo do espanhol, dúvida para o torneio que reúne os oito melhores do ano devido a sua lesão abdominal. Se conseguir, o sérvio vai encerrar um ano pela sexta vez como número 1, igualando o recorde do americano Pete Sampras.

Aos 32 anos, 'Nole' conquistou seu 34º Masters 1000 e ficou a um de Nadal, que tem o recorde histórico.

Djokovic, que parecia muito enfraquecido devido a um forte resfriado quando estreou na quarta-feira, conquistou neste domingo seu quinto título da temporada: dois Grand Slams (Austrália e Wimbledon), dois Masters 1000 (Madrid e Paris) e o ATP 500 de Tóquio.

Em sua carreira já soma 77 títulos, 16 deles de Grand Slam.

Neste domingo, Shapovalov, que se beneficiou no dia anterior do abandono de Nadal para se classificar sem jogar, não conseguiu colocar Djokovic em apuros.

No total, o canadense de 20 anos só tentou um break point, no segundo set, que não conseguiu converter.

Apesar de tudo, na segunda-feira vai acordar no 15º lugar do ranking ATP, a melhor colocação em sua jovem trajetória.

Leia também