Colômbia sofre, mas bate Bolívia com gol de James e respira nas Eliminatórias

Barranquilla (Colômbia), 23 mar (EFE).- Em partida que acabou sendo mais difícil do que muitos poderiam esperar, a Colômbia contou com um gol de pênalti de James Rodríguez nos minutos finais para vencer a Bolívia por 1 a 0 nesta quinta-feira no estádio Roberto Meléndez, em Barranquilla, e se manter firme na disputa por uma vaga na Copa do Mundo de 2018.

Pelos próprios erros ofensivos e principalmente pela grande atuação do goleiro Carlos Lampe, os 'Cafeteros' sofreram muito, mas contaram com gol de seu principal jogador, em penalidade sofrida por Cuadrado.

Dessa forma, os colombianos subiram, ao menos momentaneamente, da sexta para a terceira posição das Eliminatórias, com 21 pontos, atrás apenas de Brasil (27 pontos) e Uruguai (23). A equipe do técnico argentino José Pekerman terminará a rodada pelo menos na quinta posição. Já 'La Verde' é penúltima, com sete, não tem mais chances de disputar o Mundial da Rússia.

A Colômbia não pôde contar com o atacante Falcao García, que vive grande fase no Monaco, mas que ficou fora da convocação de Pekerman por lesão. O comando de ataque, com isso, ficou com Carlos Bacca, do Milan.

A Bolívia foi a Barranquilla com 21 jogadores. Alguns dos convocados por Mauricio Soria ficaram em La Paz fazendo preparação exclusiva para o jogo contra a Argentina, na cidade. Entre os que ficaram, está o volante Alejandro Chumacero, ex-jogador do Sport Recife e que atualmente é artilheiro da Taça Libertadores defendendo o The Strongest.

Embora 'La Verde' não tenha tido força máxima em campo, os colombianos encontraram dificuldade. A equipe da casa até criava, mas a bola não entrava. Logo aos sete minutos do primeiro tempo, Armero, que atualmente defende o Bahia, cruzou, Muriel chutou colocado e o goleiro Lampe fez boa defesa. A bola ainda bateu no travessão, mas não entrou.

Armero voltou a aparecer ao 17 minutos, com passe para Uribe, que finalizou por baixo. Depois de desvio em Bacca, Lamp pegou mais uma.

Aos 33, a torcida e os jogadores ficaram reclamando de pênalti, mas o árbitro não atendeu aos pedidos. Bacca fez o pivô e encontrou Armero, que passou para James Rodríguez. Na dividida, o meia do Real Madrid caiu, mas o lance foi considerado legal.

O jogo continuava uma disputa de ataque contra defesa, mas os 'Cafeteros' falhavam no último passe ou mesmo na finalização. James dominou no meio e colocou na cabeça de Cuadrado, que concluiu pela linha de fundo.

A pressão se tornou ainda maior na segunda etapa, mas a bola teimava em não entrar. Aos 17, Armero fez o chuveirinho, James cabeceou e Lampe defendeu, mas deu rebote. Bacca também tentou, e o arqueiro boliviano operou um milagre. Dois minutos depois, foi James quem levantou e Mina cabeceou no travessão.

Mais importante para a seleção que para o Real, James Rodríguez chamava a responsabilidade, mas a bola não entrava. Aos 32 minutos, o camisa 10 tabelou com Cuadrado e arriscou de fora da área para mais uma intervenção de Lampe.

O goleiro boliviano era o principal vilão para os donos da casa, mas, apesar de todo o esforço, não evitou que o placar fosse aberto aos 37. Cuadrado invadiu a área pela direita e foi derrubado por Coimbra, obtendo um pênalti. James bateu e Lampe até defendeu, mas o meia conseguiu balançar a rede no rebote.

O segundo ainda poderia ter acontecido aos 46, mas Lampe interveio mais uma vez. Cardona chutou, e o camisa 1 rebateu, mas foi para a dividida com Quiñones para salvar.


Ficha técnica:.

Colômbia: Ospina; Cuadrado, Mina, Cristián Zapata e Armero; Uribe (Duván Zapata) e Sánchez; Torres, James Rodríguez e Muriel (Quiñones); Bacca (Cardona). Técnico: José Pekerman.

Bolívia: Lampe; Cuellar (Ribera), Raldéz, Coimbra e Aponte (Gutiérrez); Diego Bejarano, Meleán, Justiniano, Morales (Arce) e Sagredo; Marcelo Moreno. Técnico: Mauricio Soria.

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro, auxiliado por Fabrício Vilarinho e Rodrigo Correa.

Cartão amarelo: Aponte (Bolívia).

Gol: James Rodríguez (Colômbia).

Estádio Metropolitano, em Barranquilla (Colômbia). EFE