Djokovic poderá enfrentar Berrettini e Zverev rumo à final do US Open

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
(arquivo) O sérvio Novak Djokovic em Nova York em 2020 (Matthew Stockman/Getty Images/AFP) (AFP/MATTHEW STOCKMAN)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Novak Djokovic poderá protagonizar uma revanche da final de Wimbledon contra o italiano Matteo Berrettini nas quartas de final do US Open e se chocar com o campeão olímpico Alexander Zverev nas semifinais, em sua luta para completar o Grand Slam deste ano em Nova York.

No feminino, o destaque é a possibilidade de um duelo entre a atual campeã Naomi Osaka e a segunda cabeça-de-chave Aryna Sabalenka nas semifinais e a primeira cabeça-de-chave Ashleigh Barty contra Karolina Pliskova.

No sorteio do quadro de simples masculino divulgado nesta quinta-feira feito pela Associação de Tênis dos Estados Unidos (USTA), o cabeça-de-chave ficou de um lado da tabela que poderá levá-lo a enfrentar o australiano Alex de Minaur na quarta rodada.

O sérvio de 34 anos, vencedor de 20 torneios do Grand Slam, poderá enfrentar o sexto cabeça-de-chave Berrettini nas quartas e, se mantiver seu nível no caminho para o título, um provável adversário nas semifinais é Zverev.

O alemão ficou perto de conquistar o título do Aberto dos Estados Unidos no ano passado quando perdeu na final para o austríaco Dominic Thiem, que se machucou e agora está impedido de defender o título desde segunda-feira em Flushing Meadows.

O outro lado da tabela é liderado pelo segundo cabeça-de-chave, o russo Daniil Medveded, ao lado do terceiro, o grego Stefanos Tsitsipas, e do sexto, o russo Andrey Rublev.

Rublev e Tsitsipas podem se enfrentar nas quartas de final.

No feminino, Osaka como terceira cabeça-de-chave poderá enfrentar a alemã Angelique Kerber na quarta fase, antes de um possível duelo nas quartas de final, contra a ucraniana Elina Svitolina, sexta cabeça-de-chave.

O mundo do tênis está atento à estrela japonesa, que desistiu do Aberto da França e abriu mão de Wimbledon devido a problemas de saúde mental.

Em seu caminho no Aberto dos Estados Unidos, ela poderá enfrentar a bielorrussa Sabalenka, semifinalista em Wimbledon no mês passado, ou a tcheca Barbora Krejcikova, oitava cabeça-de-chave, vencedora do Aberto da França deste ano.

Já a principal favorita Barty, que acaba de conquistar o segundo título do Grand Slam em Wimbledon em julho, tem grandes rivais em potencial começando nas quartas de final, incluindo a tcheca Pliskova e a canadense Bianca Andreescu.

js/rcw/gfe/ol/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos