Djokovic passou oito horas detido, a maior parte delas incomunicável, dizem advogados

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Membros da comunidade local de sérvios da Austrália durante manifestação de apoio ao tenista Novak Djokovic em frente ao centro onde está detido (AFP/William WEST)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

As autoridades fronteiriças detiveram o tenista Novak Djokovic por oito horas no aeroporto de Melbourne, onde passou a maior parte do tempo incomunicável, antes de cancelar seu visto e enviá-lo a um centro de detenção, relataram seus advogados neste sábado (8).

Seus representantes afirmaram em um documento apresentado neste sábado em um tribunal que o atleta obteve uma isenção para não se vacinar contra a covid-19 por ter dado positivo em um teste em dezembro.

"A data do primeiro teste de covid PCR positivo foi em 16 de dezembro de 2021", declararam seus representantes neste documento apresentado ao tribunal federal para tentar anular a rejeição de seu visto de entrada na Austrália.

Nesse mesmo dia e no dia seguinte, o jogador compareceu a atos públicos sem máscara.

Djokovic, número um do tênis mundial, que pousou na quarta-feira à noite em Melbourne, após uma viagem de 25 horas com uma conexão em Dubai, pediu tempo para descansar e para falar com seus advogados na manhã seguinte, disseram seus representantes legais.

No entanto, embora as autoridades migratórias tenham concordado inicialmente, seus superiores pressionaram o tenista para que tomasse uma decisão imediata.

A entrada de estrangeiros na Austrália está proibida, com poucas exceções. Os viajantes que conseguirem um visto devem ter um esquema de vacinação contra a covid completo ou uma licença médica.

A estrela do tênis está detida desde a manhã de quinta-feira, apesar de seu pedido para ser transferido para outro centro que lhe permita treinar antes do Aberto da Austrália.

Embora o tenista tenha conseguido uma prorrogação para evitar sua deportação, não está claro se o processo permitirá que participe do torneio, que é disputado entre 17 e 30 de janeiro e que Djokovic já ganhou nove vezes.

- Com covid em ato público -

Após testar positivo em 16 de dezembro, Djokovic compareceu no dia seguinte, sem máscara, a uma cerimônia para jovens jogadores em Belgrado, segundo uma publicação da federação local de tênis.

Em um comunicado emitido em 17 de dezembro, a federação de tênis de Belgrado anunciou em sua página do Facebook que "o melhor tenista do planeta e detentor de 20 títulos em Grand Slam" entregou as taças e os diplomas aos jovens vencedores da capital sérvia na temporada 2021.

"Apenas os meninos premiados compareceram à entrega das taças no Centro de Tênis Novak de Dorcol (Blegrado), devido às medidas sanitárias relacionadas à pandemia de coronavírus", destaca o comunicado.

A publicação contém várias fotos de Novak Djokovic, que posa com funcionários da federação e cerca de vinte adolescentes. Nenhum deles usava máscara de proteção.

No dia anterior - o dia de seu teste positivo -, Djokoic participou de outro ato público: a apresentação de um selo com sua imagem. O tenista publicou uma foto do momento no Instagram.

- Um "trabalho incrível" -

Em um vídeo vazado neste sábado, o diretor do Tênis Austrália, Craig Tiley, afirma que sua organização fez "tudo o que pôde".

"Há muitos dedos acusadores e muita gente culpando, mas posso garantir que nossa equipe fez um trabalho incrível", afirmou em um vídeo publicado no site do Sunday Herald Sun.

O diretor do tênis australiano explica que a organização optou por não abordar a questão publicamente devido ao recurso judicial apresentado por Djokovic contra sua expulsão.

A federação de tênis, organizadora do Open da Austrália, foi acusada de induzir os jogadores ao erro sobre as exigências de vacinação anticovid vigentes para entrar no país.

Em um comunicado aos tenistas publicado por vários jornais australianos, a associação afirmava que as pessoas não vacinadas poderiam conseguir uma isenção se comprovassem uma infecção recente de covid-19.

Mas o governo australiano ressaltou que essa disposição só é válida para residentes na Austrália, não para os cidadãos estrangeiros que querem entrar no país. Além disso, indicam que isso foi comunicado ao Tênis Austrália em novembro.

Este problema também afetou outra jogadora, a tcheca Renata Voracova, que também teve o visto cancelado depois que as autoridades permitiram sua entrada no país. Ficou detida no mesmo centro que Djokovic e hoje abandonou a Austrália.

djw/lb/es-an/iga/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos