Djokovic e Federer só poderão se enfrentar na final de Wimbledon

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O atual campeão de Wimbledon, Novak Djokovic, só poderá enfrentar Roger Federer em uma eventual final do torneio inglês, que começa na segunda-feira sem Rafael Nadal e a campeã feminina Simona Halep, de acordo com o sorteio realizado nesta sexta.

A romena de 29 anos e terceira do mundo disse que estava "muito triste e decepcionada" quando anunciou sua aposentadoria minutos antes do sorteio masculino e feminino acontecer.

Djokovic e Halep são os atuais campeões, desde 2019, já que o torneio de grama não foi realizado no ano passado devido à pandemia dr coronavírus.

Halep é a segunda favorita a se retirar da edição deste ano, depois da japonesa Naomi Osaka que anunciou em Paris que enfrenta problemas de depressão.

No masculino ficou o grande vazio de Nadal, depois que na semana passada o espanhol anunciou, depois de "ter ouvido" seu corpo, que não participaria nem de Wimbledon nem das Olimpíadas de Tóquio.

Da mesma forma, o austríaco Dominic Thiem, campeão do Aberto dos Estados Unidos, também desistiu devido a uma lesão no pulso.

Os dois grandes rivais históricos de Nadal vão participar, mas há dúvidas sobre a condição física de Federer, sexto cabeça-de-chave, que quase aos 40 anos luta para conquistar seu 9º Grand Slam na grama e seu 21º título de 'major'.

Quem chega em grande forma a Wimbledon é Djokovic, após sua vitória épica no torneio francês de Roland Garros, onde derrotou o grego Stefanos Tsitsipas após eliminar o rei do saibro parisiense, Nadal, nas semifinais.

- Djokovic em grande forma -

O sérvio de 34 anos vai jogar sua primeira partida contra um adolescente britânico, Jack Draper, de 19 anos (250º no ranking). E só poderá enfrentar Federer na final, para repetir o confronto de 2019, no qual o número 1 do mundo salvou dois match points antes de vencer o suíço.

Mas antes Federer poderá ter que enfrentar o nº 2 Daniil Medvedev nas quartas de final e o nº 6 Alexander Zverev ou o nº 9 Matteo Berrettini nas semifinais.

O francês Adrian Mannarino, 42º do mundo, será o primeiro adversário de Roger Federer.

Já Djokovic, que tenta igualar a marca de Federer e Nadal de 20 Grand Slams, poderá enfrentar o nº 7, Andrey Rublev, ou o nº 23, Jannik Sinner nas quartas de final e Tsitsipas (4º) nas semifinais.

Halep havia viajado para Londres na esperança de ficar em forma, mas sua desistência fará com que a bielorrussa Aryna Sabalenka a substitua como segunda cabeça de chave.

Também há dúvidas sobre a condição física da número 1 do mundo, Ashleigh Barty, que se retirou de Roland Garros com uma lesão no quadril.

A australiana estreia contra a espanhola Carla Suárez, que joga pela última vez em Wimbledon antes de deixar as quadras depois de se recuperar de um câncer.

bur-acc/psr/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos