Djokovic confirma que tem visto para disputar Aberto da Austrália de 2023

Djokovic no ATP Finals de Turim

TURIM (Reuters) - Novak Djokovic poderá tentar seu 10º título de simples do Aberto da Austrália do ano que vem, após receber um visto para viajar para o torneio.

O tenista de 35 anos foi deportado na véspera do torneio deste ano em Melbourne após chegar ao país sem ser vacinado contra a Covid-19.

Djokovic, que ainda não foi vacinado, confirmou nesta quarta-feira que já recebeu autorização para competir.

"Fiquei muito feliz em receber a notícia ontem", disse Djokovic, cuja deportação dominou a preparação para o Aberto da Austrália deste ano, após sua vitória sobre Andrey Rublev no ATP Finals em Turim.

"Foi um alívio, obviamente, sabendo o que eu e as pessoas mais próximas de mim passamos este ano com o que aconteceu na Austrália e pós-Austrália."

Djokovic, ex-número um do mundo que tem 21 títulos de Grand Slam, foi originalmente impedido de entrar no país até 2025, mas essa decisão foi revertida.

Djokovic também ficou de fora do Aberto dos Estados Unidos deste ano por causa das regras do país sobre vacinação contra a Covid-19, perdendo a chance de igualar o recorde de Rafael Nadal de 22 títulos de Grand Slam.

(Reportagem de Martyn Herman)