Djokovic confessa problemas após vitória sofrida e pede ajuda a Deus: 'As coisas não vão bem'

Djokovic em ação na Austrália (MARTIN KEEP / AFP)


Novak Djokovic, número cinco do mundo, reconheceu que está com problemas na perna e mencionou que as coisas não vão bem neste Australian Open para ele. Ele precisou de 3h05 para derrotar o qualifier Enzo Couacaud, 191º do mundo, e pediu atendimento duas vezes no segundo set do triunfo por 6/1, 6/7 (7/4), 6/2 e 6/0. Agora o próximo rival será o búlgaro Grigor Dimitrov.

- Para ser honesto, as coisas não vão bem. Tenho que ir dia a dia, trabalhar com o fisioterapeuta, pedir ajuda a Deus e isso é tudo que posso dizer. Na primeira partida estava melhor - apontou o tenista nove vezes campeão do torneio, em entrevista ao "Eurosport".


- Hoje foi um pouco de tudo. Orgulhoso por vencer em uma partida dessa, preferia que tivesse sido em três sets. Crédito para ele que jogou bem - seguiu o jogador, que comentou também sobre o público onde torcedores vestidos de Wallys o provocaram o tempo todo e acabaram expulsos somente quando reclamou com o árbitro no começo do quarto set.

- Situações interessantes hoje, a rodada noturna costuma ser elétrica tanto na parte positiva quanto na negativa, só precisei aceitar e ficar de fora disso.

+ Quedas de Nadal e Ruud marcam 1º Australian Open sem favoritos em 21 anos

Nole aproveitou para comentar sobre a velocidade das bolas, o que tem gerado reclamação de tenistas.

- As bolas estão mais lentas esse ano do que eram anos atrás, alguns jogadores estão reclamando, eu não estou. Nestas condições (frias) é mais difícil você penetrar na quadra ainda mais contra um jogador como o Enzo que é um bom atleta, defende bem e em um momento ele não errava, sacava bem . Eu estava lidando com o que estava lidando e comecei bem o terceiro set.