Djokovic comenta regras ampliadas para entrada nos EUA: 'O que eu posso fazer ?'

Reprodução Tennis TV


Uma nova resolução para requerimentos de entrada nos Estados Unidos foi emitido pela Administração para Segurança de Transportes (TSA), e exigirá de estrangeiros não-residentes comprovação de vacinação contra COVID-19.


A TSA é uma agência do departamento de segurança interna do governo americano e administra as entradas no país. A nova resolução está programada para ser revista ou mesmo derrubada em 10 abril, o que inviabilizará a participação do sérvio Novak Djokovic, ex-número 1 e atual 5º, nos Masters de Miami e Indian Wells, a serem disputados durante o mês de março.

Em Adelaide, na Austrália, um ano após ser deportado do país oceânico por não estar vacinado contra a COVID, Djokovic foi questionado pelos jornalistas sobre não poder entrar nos Estados Unidos.

"Eu vi falar disso, mas não acho que é oficial ainda. quando for oficial poderemos falar sobre isso", declarou o sérvio que foi interrompido por jornalistas que confirmaramque a TSA já emitiu um comunicado sobre o tema.

"Se é oficial, o que eu posso fazer? Nada. Vocês conhecem minha posição, então é o que é; Espero poder jogar, mas se eu não posso ir, não posso ir", completou.

O sérvio tornou público que não se vacinou e não irá se vacinar contra a COVID, sua justificativa é "respeito a seus princípios".