Após disputar apenas cinco etapas em 2016, Fanning anuncia retorno

O tricampeão mundial de surfe Mick Fanning está de volta ao Circuito para a temporada de 2017. Após disputar apenas cinco das 11 etapas em 2016, o australiano anunciou nesta segunda-feira que participará de toda a competição neste ano.

Mick Fanning se afastou da disputa do Circuito Mundial no último ano para se recompor após perder seu irmão mais velho e quase ser atacado por um tubarão na etapa da África do Sul de 2015. Recuperado, o surfista de 35 anos se mostrou empolgado para voltar a brigar pelo título em 2017.

“Foi bom poder tirar o ano de 2016 para descansar e me recompor, agora estou empolgado para voltar a competir novamente”, afirmou. “2015 foi um ano difícil. Muita coisa aconteceu na minha vida profissional e pessoal. Eu me senti exausto no final de tudo. Felizmente eu estava em uma posição de me afastar da disputa e ter um tempo só para mim. Eu acabei fazendo alguns eventos do Qualifying, o que foi bom porque eu não queria tirar o wildcard do Bede (Durbidge) e do Owen (Wright). Eu venho para 2017 na 18ª posição, o que será uma mudança para mim”, declarou o australiano, campeão mundial em 2007, 2009 e 2013.

Mick Fanning aproveitou também para elogiar o nível de competição que o Circuito Mundial terá em 2017. A atual edição contará com seis campeões. Além do australiano, Joel Parkinson (AUS), Gabriel Medina (BRA), Adriano de Souza (BRA), John John Florence (HAW) e Kelly Slater (EUA) também já venceram a disputa pelo menos uma vez na carreira.

“Eu estou ficando muito empolgado em relação à lista de surfistas deste ano. Pode ser o ano com maior equilíbrio entre o 1º e o número 34 que nós já tivemos”, declarou. “Eu também acredito que teremos o maior grupo de postulantes ao título que já vimos no Tour, e eu espero fazer parte desta disputa”, completou.

O retorno de Mick Fanning ao Circuito Mundial traz o respeito de todos os seus adversários na disputa pelo título. O norte-americano Kelly Slater, 11 vezes campeão do torneio, falou sobre as qualidades do australiano.

“Se o Mick estiver 100%, eu o coloco no topo da disputa pelo título”, disse. “Seria estúpido pensar que o Mick não é um Top 3 do mundo atualmente. Tudo deve ser considerado, como a experiência e a dominância em algumas etapas, como Bells e Jeffreys Bays. Não há como não colocá-lo na briga”, finalizou.

O Circuito Mundial de Surfe terá início já neste mês de março com a etapa de Gold Coast, na Austrália, que será realizada entre os dias 14 e 25.