Disparidade financeira e Orlando Berrío, o Flamengo contra a Universidad Católica

O Flamengo encara o Universidad Católica, fora de casa, nesta quarta-feira(15), pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América. O time de Zé Ricardo carrega ao seu lado algo maior do que a invencibilidade do time Rubro-Negro nesta temporada. O abismo econômico que separa os dois clubes também entrará em campo nesta noite.

O jornal chileno El Mercúrio, abordou este tema como uma das pautas de seu pré-jogo mostrando a diferença financeira entre as duas equipes. Para se ter uma ideia, os jogadores mais bem pagos dos dois times estão separados por uma diferença de quase 10 vezes.

Paolo Guerrero Botafogo Flamengo Carioca 12022017


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo / Divulgação)

Paolo Guerrero, o salário mais caro do atual elenco do Flamengo recebe cerca de 1 milhão de reais mensais enquanto Bounanotte, o jogador mais caro do Católica, ganha algo em torno de 118 mil.

A disparidade fica ainda maior quanto a arrecadação dos clubes com os direitos de transmissão. O Flamengo recebe algo em torno de 189 milhões, já o Católica não fatura mais do que 12.

Apesar da distância financeira entre os dois clubes, o Católica foi o grande vencedor do futebol chileno em 2016 e promete fazer jogo duro contra o Rubro-Negro na Libertadores. 

Com o desfalque de Mancuello, que ficou no Rio de Janeiro por precaução, Zé Ricardo deve entrar em campo com o colombiano Orlando Berrío, o atacante faturou a Copa Libertadores do ano passado e já se mostrou adaptado a nova equipe.

Orlando Berrío Flamengo Grêmio Copa do Brasil Primeira Liga 08022017


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo / Divulgação)

A disposição que apresentou todas as vezes em que ganhou oportunidade, fez com o que Berrío conquistasse a torcida. Com ele em campo, o Flamengo ganha mais velocidade e uma chegada forte na linha de fundo. Pelo Atlético Nacional, era comum ver o atacante procurando a linha de fundo e cruzando para atrás para as finalizações de Borja e Alejando Guerra. 

Caso Berrío entre em campo, o Flamengo perde uma característica de que Zé Ricardo gosta muito, o fato de conduzir mais a bola no meio-campo, por outro lado ganha em velocidade e chegada mais forte à linha de fundo. Para uma partida fora de casa, pode ser o diferencial do Rubro-Negro em busca dos três pontos.

O Flamengo encara o Católica com a possível formação: : Muralha, Pará, Réver, Rafael Vaz e Trauco; Romulo, Willian Arão e Diego; Berrío (Gabriel); Everton e Guerrero.