Dirigente garante folha do Galo sem oneração mesmo após chegadas de Nacho e Hulk; salários estão em dia

Fabio Utz
·2 minuto de leitura

O Atlético-MG iniciou 2021 investindo pesado na qualificação de seu plantel. Trouxe, por exemplo, o meia Nacho Fernández e o atacante Hulk. No entanto, segundo o diretor de futebol Rodrigo Caetano, a folha de pagamento do clube não foi onerada. O argentino possui salários dentro dos padrões alvinegros, e o brasileiro apresenta um valor agregado, apenas, pelo fato de ter chegado sem a necessidade de pagar pelos direitos econômicos.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O dirigente garantiu que se encontrou um equilíbrio, por exemplo, com a saída do técnico Jorge Sampaoli e sua comissão e, também, de outras peças da estrutura do futebol, como o diretor das categorias de base, Júnior Chávare, e o diretor de comunicação,Domênico Bhering - seus substitutos chegaram ganhando menos. Isso sem contar o fato de que alguns atletas ainda vinculados ao Galo foram realocados. "Tivemos a saída de uma comissão técnica. E a recolocação dos atletas, muitos deles tinham parte dos seus vencimentos bancada pelo Galo. Hoje, eu diria que 90% nao tem, 90% é desonerado em 100% dos seus vencimentos. É esse equilíbrio que a gente tenta encontrar", definiu, em entrevista ao canal do jornalista Breno Galante no Youtube.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Caetano salientou, ainda, que os salários e os direitos de imagem estão em dia - o pagamento conforme o combinado foi retomado um pouco antes da sua chegada. Na sua opinião, este é um reforço mais importante que qualquer estrela que desembarque em Belo Horizonte. "Não se chega a conquista nenhum, se você tiver a irresponsabilidade de empilhar jogadores e não ter os compromissos deles pagos em dia. Se você atrasar salário, não tem gerenciamento, não tem executivo, não tem técnico, não tem presidente capaz de solucionar esse problema. Foi um pedido que eu fiz. Para que, na dúvida entre fazer uma contratação, ou manter o salário em dia, eu preferiria, como gestor da equipe, manter o salário em dia", completou. Parte dos compromissos do clube segue bancada pelos já conhecidos mecenas - Rubens e Rafael Menin, Ricardo Guimarães e Renato Salvador.

Para mais notícias do Atlético Mineiro, clique aqui.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.