Dirigente anuncia que jogadores indiciados pela polícia não atuam mais no Botafogo-SP

Paulo Pelaipe é dirigente do Pantera (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)


Os atletas Dudu e João Diogo, acusados de importunação sexual e estupro por uma mulher no Rio de Janeiro, não atuam mais pelo Botafogo-SP. A informação foi passada por Paulo Pelaipe, dirigente do Pantera. Mesmo com investigação em andamento, o motivo da punição se deu por conta da fuga da concentração dos jogadores.

+ Quem é melhor: Flamengo ou Athletico-PR?

O contrato com os dois jogadores não foi rescindido. Eles serão, de acordo com Pelaipe, emprestados ou negociados em definitivo com outros clubes. Dudu cresceu nas categorias de base do Pantera e João Diogo possui contrato até maio de 2023.

- Posso garantir ao torcedor: esses dois não vestem mais a camisa do Botafogo, enquanto eu estiver aqui não abro mão da disciplina, o presidente nos apoia, também não abre mão da disciplina - disparou o dirigente.

Não foram apenas os dois atletas que saíram da concentração sem permissão. Bruno Michel e Diego Guerra devem ter a mesma punição, segundo Pelaipe.

Ex-atleta do clube, Delgado, que vestia a camisa do Botafogo-SP por empréstimo, também está sendo investigado. Ele teve, de acordo com a vítima, relações sexuais consensuais no hotel, mas não utilizou preservativo, mesmo sem o seu pedido. Logo após o ocorrido, ele foi dispensado pela equipe.

-Encontraremos uma solução, ou vão para outro clube ou terão contratos rescindidos. Eles não estão saindo pelo problema da Justiça, que vai julgar, eles vão se defender, é outro fórum. Eles não estão vestindo a camisa é pela indisciplina - disse, ainda ressaltando os Dudu e João Diogo.

O julgamento deve ocorrer, mas ainda não tem data marcada. O Ministério Público está avaliando a denúncia para encaminhar o caso para a Justiça.