Diretoria do São Paulo banca Dorival após forte pressão por demissão

Dorival tem 45% de aproveitamento dos pontos à frente do Tricolor (André Mourão/Gazeta Press)

O dia seguinte à derrota do São Paulo para o Fluminense foi de fritura no Morumbi. Dezenas de conselheiros e alguns diretores importantes do Tricolor pediram a demissão de Dorival Júnior ao presidente Leco e ao diretor-executivo de futebol, Vinícius Pinotti. A alegação era a mesma: o time vai ser rebaixado com o treinador.

Mas a diretoria decidiu bancar a permanência de Dorival, pelo menos até o jogo de domingo contra o Flamengo, no Pacaembu, pela 30ª rodada do Brasileirão. Em caso de nova derrota, certamente as cornetas em cima do sucessor de Rogério Ceni voltarão a tocar e seu destino pode ser diferente.

A revolta contra Dorival teve início na madrugada de quinta-feira, devido ao péssimo desempenho do time no tropeço por 3 a 1 diante do Fluminense. A falta de padrão de jogo, a reaproximação da zona de rebaixamento e as mexidas do técnico durante a partida agitaram o grupo de WhatsApp dos conselheiros do São Paulo.

Ao longo de todo o dia, diversos dirigentes usaram o espaço para cobrar de Leco a dispensa do comandante. Alguns alegavam que o time não responde, outros não aceitavam as saídas de Pratto e Cueva no segundo tempo do duelo com o Flu, enquanto havia quem reclamasse do desempenho como visitante.

De fato, o Tricolor é o dono da menor pontuação, ao lado da Ponte Preta, entre todos os participantes do Brasileirão longe de casa – as duas equipes somam apenas oito pontos em 45 possíveis. Ou seja, venceram duas, empataram duas e perderam 11.

Com as partidas que fecharam a 29ª rodada, disputadas nesta quinta-feira, o São Paulo ocupa a 15ª colocação, com 34 pontos. Somente o Vitória, com 33, separa o clube paulista do Z4. O primeiro entre os rebaixados é a Ponte Preta, com 32 pontos.

Outro lado: Apesar de reconhecer a apatia do São Paulo no Maracanã, Dorival Júnior tem usado a matemática para se defender. É que o Tricolor tem a oitava melhor campanha levando em conta as 17 rodadas em que Dorival trabalhou – são 23 pontos, com seis vitórias, cinco empates e seis derrotas. Atlético-PR, Flamengo e Bahia têm a mesma pontuação.

O Palmeiras é o líder neste período, com oito pontos de vantagem em relação ao Tricolor. Já o Corinthians, principal candidato ao título nacional, somou 27 pontos.

CLASSIFICAÇÃO NAS ÚLTIMAS 17 RODADAS*
1º Palmeiras: 31 pontos
2º Cruzeiro: 30
Santos: 30
4º Grêmio: 28
Botafogo: 28
6º Corinthians: 27
7º Vasco: 26
8º São Paulo: 23
Atlético-PR: 23
Flamengo: 23
Bahia: 23
12º Vitória: 21
Atlético-MG: 21
Fluminense: 21
15º Chapecoense: 20
16º Atlético-GO: 19
Avaí: 19
18º Ponte Preta: 17
Sport: 17
20º Coritiba: 15

* período que corresponde à era Dorival no São Paulo

Para acessar outras notícias do Blog do Jorge Nicola, clique aqui: