Diretor do Timão explica dívida que compõe o salário de Jô e acena com R$ 8 milhões a mais de patrocínio


O Corinthians anunciou a contratação de Jô durante a última semana, e junto com o reforço vieram os questionamentos sobre o salário do jogador, em meio à crise financeira enfrentada pelo clube, agravada pela pandemia de coronavírus. Por isso, o diretor financeiro do clube, Matías Ávila, em entrevista ao "Fox Sports Rádio", explicou a composição dos vencimentos do jogador e ainda afirmou que a camisa alvinegra rendeu mais R$ 8 milhões em patrocínio.

No papo com o programa do canal Fox Sports, o dirigente corintiano afirmou que a partir de janeiro de 2021, além do salário, Jô receberá parcela de uma dívida antiga que o clube tem com ele. A oportunidade de trazer o atleta de volta serviu também para renegociar o pagamento do débito.

- Nós tínhamos um compromisso com o Jô que ainda não estava saldado, nós aproveitamos esse novo contrato para repactuar esse dinheiro que nós estávamos devendo para o Jô para colocar a casa em ordem - disse Ávila, que negou que o contrato até dezembro de 2023 foi assinado para esse fim:

- Não é por isso que é um contrato de três anos e meio, é porque o Corinthians quis que o Jô jogasse no Corinthians por três anos e meio. Agora durante um tempo nós vamos pagar o salário e mais uma parte da dívida que nós tínhamos com o Jô a partir de janeiro - complementou.





Matías Ávila também rechaçou os valores de salário que têm saído na mídia nos últimos dias e voltou a explicar que a composição dos vencimentos inclui a dívida diluída. Além disso ele afirma que o Corinthians não faz loucuras.

- Falaram em 520 mil, eu disse que não, é um salário menor do que esse, eu não falo em salário de jogador, mas o compromisso do ano que vem é o pagamento da dívida que o Corinthians tem com o Jô, não tem nada a ver com o salário, salário com o Jô foi negociado, quis jogar no Corinthians, o Corinthians adora o Jô e foi feito um bom negócio para todo mundo. Essa é a realidade. Para o cara não expor o Jô, ficar falando que ele ganha 520 mil, não é verdade, o Corinthians não faz esse tipo de loucura, o Corinthians está com os pés no chão - argumentou.

O dirigente foi questionado sobre como o clube vai conseguir conciliar o pagamento dos salários atuais do elenco, de Jô e as dívidas que estão estourando nos últimos dias. Além do dinheiro da venda de Pedrinho, adiantado por um banco europeu, Ávila diz que novos patrocinadores da camisa corintiana irão incrementar a receita em mais R$ 8 milhões.

- Nós renegociamos parte da camisa, de dois parceiros que foram embora, e aumentamos em quase R$ 8 milhões a camisa, mas isso é um dinheiro que está entrando agora. Passamos a camisa de 72 para 78 milhões e esse dinheiro começa a entrar - explicou o diretor financeiro.

Segundo apurou a reportagem do LANCE! durante a última semana, dois novos patrocinadores negociam com clube e um deles tem negócio adiantado com o Timão, porém nenhum ainda está fechado, algo que deve acontecer nos próximos dias. Por enquanto, dos patrocinadores atuais, apenas a MarjoSports oficializou o rompimento de contrato, mas a tendência é que mais um saia.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também