Diretor nega volta de Spa-Francorchamps ao calendário da MotoGP

Spa-Francorchamps não deve voltar ao calendário da MotoGP. Carmelo Ezpeleta, diretor-executivo da Dorna, empresa que organiza o Mundial de Motovelocidade, negou a possibilidade do traçado belga receber disputas da categoria novamente por questões de segurança.

A diretoria de Spa-Francorchamps já havia manifestado o desejo do autódromo fazer parte do calendário da MotoGP após 26 anos. Segundo os planos de Nathalie Maillet, diretora do autódromo, as competições passariam a ser disputadas também na Bélgica a partir de 2020.

“Eles nos contaram no último verão o interesse, mas o problema principal é a segurança. Para nós é quase impossível homologar o circuito para a MotoGP. Nós discutimos um pouco para a Superbike, eles sugeriram fazer algum trabalho, mas com certeza no momento é ‘não’ para a Superbike e para a MotoGP. Nós precisamos conversar a respeito”, disse Ezpeleta, negando também a inclusão do circuito belga na categoria inferior à MotoGP.

O responsável pelo planejamento da MotoGP também comentou sobre outros locais que têm chance de abrigar as disputas da categoria. Indonésia, Tailândia e Finlândia devem integrar o calendário, mas ainda há negociações para que tudo seja definido.

“Nós ainda estamos conversando, o projeto indonésio continua, eles estão trabalhando. Nós também estamos conversando com a Tailândia, Buriram é também outro projeto. Estamos conversando com os dois. A Finlândia provavelmente será em 2019. Se eles terminarem a tempo de ser homologado antes de 2018, eles entram em 2018. Caso contrário, será em 2019”, finalizou.