Diretor de estatísticas do Shakhtar elogia ida de Pedrinho para o Benfica


José Boto, diretor de estatística do Shakhtar Donetsk e anteriormente no Benfica, analisou a chegada de Pedrinho, do Corinthians, ao time do Estádio da Luz para o jornal “A Bola”. Além de muitos elogios ao meia brasileiro e a sua qualidade técnica, o português também disse sobre a sua função no mundo do futebol e que muitos bons jogadores do nível de Bernardo Silva e João Félix podem ter se perdido.

Pedrinho, que deve ser anunciado nos próximos dias, foi visto como um jogador técnico e que pode se encaixar no plantel.

- É um jogador tecnicamente muito bom. Algumas pessoas irão rotulá-lo de ser pouco intenso, mas é um jogador que eu gostaria no Shakhtar. Não há muitos jogadores no Campeonato Português com o nível de criatividade, qualidade técnica e capacidade de desequilíbrio como ele. Tem que ter paciência com a adaptação dele e não esperem que seja um velocista, um lutador. Ele é muito bom no um contra um.

Já sobre sua análise dos jogadores do próprio país, Boto diz que a função de quem observa números e estatísticas é tentar aproveitar as melhores qualidades físicas e técnicas de possíveis atletas, mas que muitos podem ser perdidos dessa forma.

- Bernardo Silva e João Félix sempre deixaram dúvidas em muita gente devido às questões físicas. Quantos se perderam neste caminho pela forma como olhamos o jogador hoje? Hoje olha-se muito para condição física, altura, força e menos para o que interessa que é a relação com a bola, inteligência, qualidade nas decisões.

O ex-treinador possui bastante admiração pelo Brasil e faz visitas constantes atrás de jogadores para seus clubes. José Boto foi pioneiro no Benfica com a função de diretor de estatísticas e chegou ao futebol ucraniano por indicação de Paulo Fonseca, ex-comandante do Shakhtar e atualmente na Roma.











Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também