Diretor do Grêmio diz que já há invasores identificados e promete investigar racismo

·2 min de leitura
  • Dirigente afirmou que já há invasores identificados;

  • Hein revelou que, às 18h desta segunda-feira, receberá um relatório completo sobre o ocorrido;

  • Um dos invasores já depôs à polícia sobre o ocorrido.

O diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein, falou sobre a confusão generalizada e a invasão de campo na Arena neste domingo, após a derrota por 3 a 1 para o Palmeiras, pelo Brasileirão. Em entrevista à Rádio Grenal, o dirigente afirmou que já há invasores identificados e prometeu investigar um suposto caso de racismo nas arquibancadas, denunciado em redes sociais.

"Tem que pensar numa estratégia para fazer uma defesa consistente numa infração que pode gerar até dez jogos de perda de mando de campo e até R$ 100 mil de multa. Tem que fazer a mitigação do problema, e o Grêmio está fazendo. Identificando os infratores, já temos alguns identificados, para termos atenuantes para que o Grêmio não sofra uma punição dessas. 

Nessa, passar pelo imaginário coletivo de algumas pessoas que destruir a cabine do VAR e invadir o campo seja a solução é dose para mamute — avaliou ele, lamentando a chance de prejuízos ao clube, que luta contra o rebaixamento:

"Um time estimulado pela torcida é uma coisa. Sem torcida, é outra configuração".

Hein revelou que, às 18h desta segunda-feira, receberá um relatório completo sobre o ocorrido. Por ora, não precisou quantos dos invasores já foram identificados, mas afirmou que um deles já depôs à polícia sobre o ocorrido. O diretor afirma que a identificação ajuda a aliviar a situação do clube.

O diretor foi perguntado sobre as denúncias de um suposto caso de racismo na Arena. Em imagem que circula nas redes sociais, um torcedor faz movimentos que seriam a simulação dos de um macaco. Hein prometeu investigar o caso.

Leia também:

"Esses assuntos são muito delicados. Não vi o vídeo ainda e não posso tecer juízo de valor. Se realmente aconteceu, vamos tomar as providências cabíveis. O Grêmio tem sido muito atento a essa questão e tem punido todos que se manifestam dessa foram. Se isso realmente existiu, vamos descobrir quem é, punir e banir — afirmou.

Por fim, foi pedido ao dirigente um possível prognóstico sobre o julgamento do caso da invasão na Arena, que já está nas mãos do SUperior Tribunal de Justiça Desportiva. Hein adotou um tom otimista e afirmou que acha pouco provável uma punição já no próximo jogo na Arena. A próxima partida do clube em casa acontece no dia 9, contra o Fluminense.

"Espero, de tal forma, comover o tribunal e que não tenha punição nenhuma. A minha atuação é no sentido de absolver o Grêmio em função das providências que o clube tomou para localizar as pessoas que cometeram esses delitos. Nesses casos, o jurídico faz seu máximo para que o Grêmio não tenha prejuízo, ainda mais em uma reta final de campeonato.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos