Diretor do Butantan diz que Ministério da Saúde não confirmou compra de vacinas

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
Butantan Institute Director Dimas Covas gestures during a press conference at Butantan's headquarters in Sao Paulo, Brazil, on January 7, 2021. - The Butantan Institute announced today that the effectiveness of the CoronaVac vaccine, developed in partnership with the Chinese laboratory Sinovac, is 78% against COVID-19, and that it has already initiated the request for emergency use of the immunizer by ANVISA (National Health Surveillance Agency). (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP) (Photo by NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse que o Ministério da Saúde não confirmou a compra de 54 milhões de doses da Coronavac, vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pelo centro de pesquisa em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

“Nós trabalhamos neste contrato há cerca de 10 dias e, na última quarta-feira, nós remetemos ao ministério a versão que eu considerava final, e esperava a assinatura entre ontem e hoje [sexta-feira]. E hoje chegou uma versão modificada do contrato”, disse Dimas Covas em entrevista à GloboNews, na última sexta-feira (12).

Leia também

No final de janeiro, o Ministério da Saúde havia confirmado a aquisição afirmando que as vacinas se somariam às 46 milhões de doses já adquiridas pela pasta junto ao instituto, totalizando 100 milhões de doses da Coronavac para o governo federal.

“Nós estamos exercendo a nossa opção de contratação das 54 milhões adicionais da fundação Butantan de forma a totalizar 100 milhões de doses para imunização da população brasileira”, disse o secretário-executivo do ministério, Élcio Franco, no final de janeiro.

No entanto, Dimas Covas disse que o Butantan não assinou o documento. porque o Ministério da Saúde introduziu novas cláusulas no contrato que havia sido negociado entre as partes.

“Portanto, mais uma vez, nós fizemos chegar ao ministério que não assinaremos, dado que nós já tínhamos chegado a um acordo. Como houve essa mudança, nesse momento o contrato ainda não foi assinado”, declarou.

O contrato para a inclusão da vacina no Plano Nacional de Imunização (PNI) já previa a compra de 46 milhões de doses da Coronavac, com entrega até 30 de abril. Com a inclusão de outras 54 milhões de doses, o valor chegaria a 100 milhões.