Diretor admite que credibilidade do Bahia ajudou em negociação com atletas

Futebol Latino
LANCE!


Devido à pandemia do novo coronavírus, muitos times do futebol brasileiro têm adotado uma política de redução de salários de jogadores, comissão técnica e, em alguns casos, funcionários do clube. Diretor de futebol do Bahia, Diego Cerri explicou o acordo feito com o elenco do Tricolor.

Segundo o dirigente, o histórico recente do clube, que é conhecido entre atletas e profissionais por pagar salários em dia, ajudou no momento de negociar uma redução.

- Acho que o que podemos oferecer hoje é credibilidade, pelo que a gente vem fazendo nos últimos cinco anos. Pagamentos em dia, responsabilidade e buscando o equilíbrio entre ser competitivo, mas que possamos suportar no bolso também. Com isso, pagando em dia, e sendo transparente no que a gente faz, e sempre cumprir com o que combinou, isso traz uma credibilidade nesse momento de mostrar o exemplo do clube e fazer algum tipo de redução. Eu acho que esse histórico do clube faz com que as pessoas e atletas aceitem e entendam melhor as medidas nesse momento - disse Cerri, que completou:

- O futebol é uma indústria que gera uma série de empregos, tem muita gente que trabalha, como outra profissão qualquer. O posicionamento do Bahia é esse, de responsabilidade. Você tem de tomar certas atitudes e tentar zelar pela manutenção dos empregos. Buscamos preservar o salário daqueles que ganham menos e precisam, assim fizemos cortes escalonados e chegando a 25% do salário dos atletas e sempre buscando alguma situação futura para compensar essas perdas se o quadro pós-pandemia permitir - concluiu.

Durante a pausa no futebol brasileiro, o Bahia anunciou a dissolução da Equipe de Transição (Sub-23) que vinha disputando, inclusive, o Campeonato Baiano sob o comando do técnico Dado Cavalcanti. Diego Cerri também explicou a questão do encerramento do projeto e revelou que alguns jogadores irão ser aproveitados pelo técnico Roger Machado.

- Aqui pra nós, em função da Copa do Nordeste, que é um campeonato a mais que os clubes do Sul e Sudeste, era ainda mais complicado o calendário. Nossa Equipe de Transição visava desafogar esse nosso calendário, além de por garotos que poderiam pegar experiência e mostrar o seu valor no Estadual. Estamos trazendo cerca de 10 atletas dessa equipe B para se incorporar com a equipe do Roger e ficaremos com uma equipe um pouco maior para superar essa sequência que será difícil, com certeza - concluiu.










Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também