Com direito à provocação, Santa vence na Ilha e fica perto da final

O Santa Cruz deu um enorme passo rumo à final da Copa do Nordeste. Na noite deste sábado, o time coral visitou o Sport em uma lotada Ilha do Retiro e venceu por 2 a 1, pelo jogo de ida das semifinais. No primeiro tempo, Léo Costa abriu o placar para os visitantes, enquanto Diego Souza deixou tudo igual em cobrança de pênalti. Na etapa final, Halef Pitbull desempatou e comemorou em cima do escudo do Leão, em um ato de extrema provocação.

Com o resultado, o Santa Cruz, atual campeão do torneio, joga pelo empate no segundo confronto, marcado para a próxima quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Estádio Arruda. O Sport, por sua vez, precisa de uma vitória por dois gols de diferença para avançar à final. Caso devolva o placar, a decisão da vaga será nos pênaltis.

O vencedor deste duelo enfrentará na decisão Vitória ou Bahia. No primeiro embate do clássico baiano, o Rubro-Negro derrotou o arquirrival por 2 a 1, no Barradão. A segunda partida acontecerá neste domingo, às 16 horas, na Fonte Nova. O campeão do torneio se garante de forma direta nas oitavas da Copa do Brasil de 2018.

O jogo – Empurrado por mais de 20 mil torcedores (foram 23.574 contando com as duas torcidas), o Sport começou tentando pressionar o Santa Cruz no início da partida, que começou violenta, com muitas faltas cometidas por ambos os lados. Nervosos em campo, os donos da casa não conseguiram ameaçar a meta do goleiro Jacsson, enquanto os visitantes surpreendentemente tinham o controle da posse de bola.

Aos poucos, porém, o Leão foi tomando conta do clássico. Aos 17 minutos, Fabrício cobrou falta na área e Rithely cabeceou perigosamente, passando rente à trave esquerda. Aos 25 minutos, Juninho recebeu livre, na cara do goleiro, dominou com o peito e chutou forte, mas Jacsson fez grande defesa à queima rouba.

No entanto, o Santa Cruz não se intimidou em território hostil e decidiu ir ao ataque. Aos 31, Léo Costa arriscou de longe e obrigou Magrão a realizar grande intervenção. Só que no minuto seguinte não deu para o goleiro do Sport. Após trama pela esquerda, Thomás cruzou na medida para o próprio Léo Costa testar firme, sem chances para o arqueiro rubro-negro.

A comemoração tricolor, contudo, durou pouco. Aos 37, Diego Souza entrou na área, ganhou no corpo do lateral Tiago Costa e recebeu a falta. Na cobrança do pênalti, diferentemente do que fez no duelo contra o Botafogo, no meio de semana, pela Copa do Brasil, o camisa 87 deu só uma paradinha e conseguiu deslocar Jacsson, que viu a bola entrar em seu canto direito, empatando o confronto antes do intervalo.

A exemplo do que já havia ocorrido na primeira etapa, o segundo tempo começou com pressão do Sport. Aos 9 minutos, Fabrício surpreendeu e cobrou falta da esquerda direto para o gol. Ligado, Jacsson espalmou para escanteio no estilo manchete.

Com o meio de campo congestionado, o Leão passou a explorar mais as laterais. Aos 16, o chileno Mena desceu pela esquerda e fez cruzamento perfeito para Juninho. O atacante subiu sozinho no segundo pau para cabecear, tirando tinta da trave direita de Jacsson.

Pressionado, o time coral se defendeu bem e tinha como única arma os contra-ataques. E, em um deles, conseguiu marcar o gol da vitória. Aos 31 minutos, André Luís passou por três marcadores e deu passe na medida para Halef Pitbull tocar na saída de Magrão, fazendo o segundo do Santa. Na comemoração, o atacante imitou o cão homônimo em cima do escudo do Sport, dando “patadas” no Leão.

De forma surpreendente, não houve confusão pelo gesto do atleta do Santa Cruz. Nos minutos finais, o Sport se lançou ao ataque, criou ao menos duas grandes chances de empatar, mas pecou nas finalizações e deixou a Ilha do Retiro derrotado.