Diogo Boa Alma: o diretor esportivo que faz história com o Santa Clara

·4 minuto de leitura


A Região dos Açores é um pequeno arquipélago de Portugal composto por quase 250 mil habitantes e que é a casa do Clube Desportivo Santa Clara. A equipe, que está na elite do futebol nacional, não está nos holofotes como os grandes adversários. Ainda assim, o time dirigido por Daniel Ramos faz história no país ao conquistar a permanência na Primeira Liga pelo quarto ano consecutivo.

Transição

Um dos principais nomes deste clube não está atuando nos gramados ou na beira do gramado, mas sim nos bastidores. Diogo Boa Alma, diretor esportivo do Santa Clara há cinco anos, conversou com o LANCE! e explicou as mudanças que ocorreram dentro da entidade e os processos internos que foram alterados para fazer da instituição dos Açores uma das gratas surpresas desta época.

- Muita coisa mudou, tanto internamente quanto externamente. Nós profissionalizamos o clube e trouxemos pessoas de diversas áreas para nos dar apoio. Investimentos no departamento médico, trazendo fisioterapeutas, e buscamos atender as exigências que o futebol precisa. Em termos externos, há uma diferença gigantesca também no acompanhamento que nós temos atualmente.

Na última temporada, a equipe atingiu os 43 pontos, a maior pontuação da história do time na Primeira Liga. Na atual campanha, o elenco soma 40 pontos conquistados, ocupa a 7ª colocação e ainda restam duas partidas. Apesar do momento estável, o caminho do dirigente começou de maneira árdua.

- O caminho foi difícil desde o começo. Quando cheguei, o clube estava na Segunda Liga, mas próximo de ser rebaixado e salvamos a equipe. No ano seguinte, conseguimos o acesso e o trabalho vem sendo feito mantendo uma base e uma identidade, o que nos deu estabilidade para conseguirmos fazer temporadas tranquilas apesar de o Santa Clara ser sempre um dos cinco, seis times com menor orçamento.

Região dos Açores
Região dos Açores

Clube se localiza nos Açores, em Portugal (Foto: Rui Vale de sousa/ Fotolia)

Modéstia à parte

O Santa Clara não possui Centro de Treinamento no nível dos principais rivais, departamento de scouting, mantém um estádio com capacidade para pouco mais de 13 mil pessoas, mas que não abre desde o início da pandemia da Covid-19 e não tem capacidade de comprar jogadores de outras equipes. Apesar de tudo parecer que vai dar errado, Boa Alma aposta no desenvolvimento interno do clube para superar as adversidades e chamar a atenção.

- Aqui não há departamento de scouting, ainda não demos esse passo. A situação está centralizada em mim, que faço análise e acompanhamento. Nós já vivemos uma situação econômica complicada, mas conquistamos a estabilidade. Nosso próximo objetivo é construir um Centro de Treinamento e desenvolver mais áreas internas em torno de um projeto sustentável e alcançar metas.

Estádio de São Miguel
Estádio de São Miguel

Santa Clara possui estádio modesto (Foto: Reprodução/ santaclara)

E apesar dos problemas causados pela pandemia do novo coronavírus, o clube do jovem dirigente de 38 anos conseguiu driblar todos os problemas. E a resposta para o Santa Clara não sofrer e ainda conseguir feitos incríveis na temporada está no próprio perfil da instituição e de seu planejamento orçamentário.

- O Santa Clara não possui a capacidade de comprar jogadores e temos uma das menores folhas salariais. A pandemia atingiu todas as atividades, mas no nosso caso foi menos grave do que em clubes maiores, que perdem muito por conta de patrocínios, vendas de materiais. Isto não é parte da nossa receita principal. Nós fazemos o orçamento com base no que temos de direitos televisivos e com o apoio do governo dos Açores.

Visão geral

Por conta do bom trabalho à frente dos Bravos Açorianos, Boa Alma é cotado pela imprensa portuguesa para assumir algum cargo interno do Benfica devido à saída de Tiago Pinto. O profissional não revelou ter recebido nenhum convite oficial, mas explicou a importância do seu cargo dentro do esporte e como a função precisa crescer em Portugal.

- A função do diretor esportivo ainda tem uma margem grande para investimento, pois esta função não existe em muitos clubes da forma como ela é exercida no Santa Clara. Os presidentes em Portugal interferem no futebol, querem tomar decisões. Aqui, tenho liberdade e ninguém interfere no meu trabalho. Às vezes não há coragem de delegar responsabilidades para o outro. Não podemos ter um modelo de 20, 30 anos atrás em que uma pessoa que não é do ramo do futebol interfere no futebol.

O Santa Clara entra em campo fora de casa neste domingo para um confronto direto contra o Belenenses, que tem os mesmos 40 pontos conquistados. O clube encerra sua participação no Campeonato Português diante do Farense, no Estádio São Miguel. Com ambições pessoais e profissionais, Diogo Boa Alma e sua atual equipe buscam escrever histórias e a expectativa é de que todas as partes saiam ganhando.