Diniz vê empate justo, enaltece 'espírito de luta' do Fluminense e lamenta pontos perdidos em casa

Diniz sofreu o primeiro revés à frente do Fluminense nesta temporada (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)


O Fluminense ficou devendo e voltou a empatar em 0 a 0 com o Unión Santa Fe (ARG) na penúltima rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana. Após a partida, o técnico Fernando Diniz avaliou o que faltou ao time para sair com a vitória e não se complicar na busca por uma vaga nas oitavas de final. Ele ainda lamentou os pontos perdidos no Rio de Janeiro, quando Abel Braga ainda era o treinador da equipe.

+ ATUAÇÕES: Fernando Diniz leva a pior nota em empate do Fluminense; Pineida tem noite abaixo da média

- No Rio de Janeiro eu não era o treinador. O jogo daqui não surpreendeu em nada. Muita pressão da torcida, muita bola longa, um time bastante vertical, que não troca muitos passes, tenta chegar ao gol de forma direta. Na parte tática e nem no ambiente emocional não houve surpresa. A gente queria ter jogado um pouco melhor tecnicamente para conseguir vencer. Faltou profundidade, mas o espírito de luta que é o principal teve do começo ao fim. O empate acabou sendo justo - avaliou o treinador.

- Um ponto só é muito ruim para nós. Ficamos dependendo agora de um empate entre Barranquilla e Unión. É muito difícil jogar aqui. Assisti vários jogos, é um time muito difícil de bater em casa, ganharam do River Plate (ARG) e é difícil perder pontos. Tivemos muita posse e pouca profundidade. Faltou isso um pouco por conta do time, um pouco pela marcação bem feita do Santa Fe - completou.

Veja a tabela da Sul-Americana

​A situação é difícil, mas matematicamente ainda possível. O Flu fica com os mesmos oito pontos do Unión Santa Fe, mas ainda em terceiro por conta dos três gols de diferença no saldo. Na última rodada, precisará vencer e torcer por um empate no outro confronto para chegar aos 11 pontos do Junior. Mesmo assim, terá que garantir um placar de pelo menos seis gols de diferença contra o Oriente Petrolero em Santa Cruz de la Sierra (BOL) para tirar o saldo.

- O futebol é assim, é uma coisa que acontece. O jogo que mais fez falta foi o empate em casa contra o Unión e o saldo de 3 a 0 contra o Barranquilla na Colômbia. Viemos como candidatos a ser primeiro, mas é um grupo muito forte. São três equipes brigando pela classificação até o final. Esse grupo da Sul-Americana é muito mais forte que outros da Libertadores. Éramos candidatos, mas tínhamos adversários fortes e precisávamos pontuar o máximo em casa para seguir e ter mais chances de classificação. Mas ainda temos chances, vamos acreditar até o final - concluiu.

O Fluminense agora sai da Argentina direto para Fortaleza, onde enfrenta o Leão no Castelão no domingo, às 16h, pela sétima rodada do Brasileirão. A última rodada da Sul-Americana será na próxima quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), contra o Oriente Petrolero na Bolívia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos