Diniz sobre gols de Pablo: 'Mais do que precisando, estava merecendo'


Em um Morumbi sem público, em virtude da pandemia de coronavírus, o São Paulo virou sobre o Santos e venceu por 2 a 1, neste sábado, pela 10ª rodada do Campeonato Paulista. Apesar de ter sido melhor na maior parte do tempo, o Tricolor saiu atrás na primeira etapa, mas contou com a expulsão do santista Jobson, e dois gols de Pablo, que entrou no intervalo, para conseguir vencer.

+ Veja a tabela do Campeonato Paulista

Diante do Peixe, Pablo interrompeu um jejum de oito jogos sem marcar. O atacante de 27 anos vinha lidando com críticas, que chegaram ao auge na derrota do São Paulo para o Binacional, na estreia na Libertadores. Na ocasião, o jogador perdeu boas oportunidades nos 3.825 metros de altitude da cidade de Juliaca, no Peru. O paranaense, porém, que ao lado de Vitor Bueno, é o maior garçom do Tricolor na temporada, com três passes para gol, tem a confiança de Fernando Diniz.

- Mais do que precisando, ele estava merecendo. O Pablo está fazendo uma boa temporada. Ele deve ser o líder, ou um dos líderes em assistências do time. Já fez três gols, tem jogado constantemente bem a maioria dos jogos. Em determinado jogos, como o da altitude (contra o Binacional), ele perdeu um dois gols e ficou muito marcado por aquilo, mas está bem, Por isso temos que trabalhar internamente para ajudar o jogador a não desistir. No momento certo as coisas acabam acontecendo, e hoje nos premiou com a vitória com os dois gols que ele fez - disse Diniz, em entrevista ao "SporTV", no Morumbi.

O treinador ainda falou sobre a formação de ataque com Pablo e Alexandre Pato, que atuaram juntos no segundo-tempo neste sábado, tempo em que a virada do São Paulo foi construída.

- Contra o Santo André também deu certo, tivemos um número muito grande de finalizações; Foi um dos melhores tempos que a gente fez no ano, também deu certo lá. A gente treina para esse tipo de situação, não é improvisada. Por isso aumenta a chance de dar certo. E também não sei se esse foi o motivo de a gente virar hoje, apesar do Pablo ter feito os dois gols, que ele estava precisando e merecendo. O time mudou a postura, foi intenso. Claro que a expulsão do Santos facilitou, mas o determinante foi a intensidade que a equipe teve no segundo tempo - comentou o treinador.

O San-São foi disputado com portões fechados no Morumbi, devido alto grau de transmissão do novo coronavírus na capital paulista. Fernando Diniz descreveu a sensação de atuar no silêncio do estádio e disse ter sentido falta da torcida tricolor.

– Super estranho. No futebol que praticamos de alto rendimento o torcedor é um dos grande protagonistas junto com os jogadores. Sem torcedor sempre faz falta. Ainda mais a do São Paulo do jeito que está, se encaixando com o time e criando uma conexão, uma sinergia grande. Na quarta (na vitória por 3 a 0 sobre a LDU) foram um jogador a mais desde o inicio. O jogador se sente contagiado. Fica mais fácil. Nesse momento é especialmente ruim essa parada, porque a conexão com a torcida está positiva – afirmou o treinador.

O São Paulo, com 18 pontos, é o primeiro do Grupo C e está perto de vaga nas quartas do Paulista. Com os jogos da Libertadores adiados devido à pandemia de coronavírus, o Tricolor voltará a campo no sábado, diante do Bragantino, novamente em um Morumbi provavelmente de portões fechados.

















Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também