Diniz mostra sintonia no Fluminense e tem estreia com aplausos e apoio do elenco

Luiz Henrique foi abraçar Diniz após marcar o gol da vitória do Fluminense no Maracanã (Foto: Luiza Sá/LANCE!)


Ainda não foi possível ver no campo muito do estilo de Fernando Diniz, mas a vitória do Fluminense por 2 a 1 sobre o Junior Barranquilla (COL) no Maracanã já evidencia que o elenco está fechado com o técnico. Participativo durante o confronto, o novo comandante não ficou um segundo parado. Deu orientações, reclamou e comemorou muito ao lado dos atletas, que fizeram questão de ir até ele celebrar após os gols.

Cercado por expectativas e opiniões fortes contra e a favor, Diniz ostenta algo que poucos treinadores conseguem: tem uma ala forte de defensores no Flu mesmo com os resultados ruins da primeira passagem. Por isso, foi aplaudido quando o nome apareceu no telão antes da partida. Pela primeira vez em muito tempo não houve protesto dos torcedores com alvos específicos. Apenas Willian Bigode acabou sendo vaiado após deixar o campo, mas nem o presidente Mário Bittencourt foi lembrado na euforia pela vitória.

Veja a tabela da Sul-Americana

O treinador foi o primeiro a subir para o campo antes do apito inicial. Observou o Maracanã, saudou torcedores e já começava a observar o que viria. No primeiro tempo logo foi celebrado com o gol cedo de Paulo Henrique Ganso, mas aproveitou para conversar muito com os atletas. O foco especial foi no setor de meio-campo, mas os atacantes também precisaram ouvir as orientações. Nesta partida, Willian atuou um pouco mais recuado, enquanto Germán Cano ajudou na marcação.

Segundos antes de Luiz Henrique marcar o gol da vitória, Diniz o chamou para passar orientações. O treinador se irritava principalmente com erros e a lentidão nas transições, tentando fazer a equipe ser mais compacta. O que se viu em campo foi mais Abel Braga do que Fernando Diniz, mas já começa a indicar os caminhos pelos quais ele pode seguir nessa temporada.

CAMPANHA DOS JOGADORES

O ambiente para a volta de Fernando Diniz ao Fluminense é o melhor possível. Além do respaldo da diretoria, que tinha outras opções na mesa mas foi rápida no consenso sobre o nome dele. o treinador também conta com a aprovação dos jogadores. Foram apenas dois dias de trabalhos até a estreia, mas o comandante parece ter conquistado rápido a todos.

Vale lembrar que os atletas foram parte fundamental no movimento de escolha. Mário Bittencourt tinha apreço por outros profissionais, mas Diniz teve uma boa campanha interna a favor. Já na primeira partida foi possível perceber isso, já que os jogadores faziam questão de mostrar que estão fechados com o técnico.

- Receber a notícia que ele estava voltando foi uma alegria enorme, apesar da saída do Abel, que não queríamos. O Diniz é um amigo pessoal. Conseguimos nos organizar na parte defensiva, agora é crescer na ofensiva, fazer uma pressão melhor na equipe adversária. O que o Fernando faz de melhor é passar confiança, ajudar no posicionamento me deixando mais próximo dos companheiros de ataque para fazer o time jogar, e muitas conversas sobre a vida também - disse Ganso, um dos maiores entusiastas de Diniz.

Com o resultado, o Flu sobe para o segundo lugar no Grupo H com os mesmos sete pontos do Junior, que ainda lidera por conta do saldo de gols maior. Unión Santa Fe (ARG), com cinco pontos, e Oriente Petrolero (BOL), com zero, ainda se enfrentam na quinta-feira para fechar a quarta rodada.

As equipes só voltam a jogar pela competição continental em duas semanas, quando o Tricolor visita o Santa Fe dia 19, às 19h15. Antes disso, porém, o Fluminense enfrenta o Palmeiras no próximo domingo, às 16h, no Allianz Parque, pelo Brasileirão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos