Diniz encara 'gangorra de emoções' no comando do Fluminense

Diniz está em reta final de contrato com o Fluminense (Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE)


Fernando Diniz é conhecido pelo futebol bonito, com toque de bola, aproximações e velocidade. Contudo, o treinador do Fluminense enfrenta novamente uma oscilação de resultados sob o comando do Tricolor e vive uma "gangorra de emoções". Em certo momento, pode-se acreditar em título brasileiro, mas em outras situações o frenesi acaba por completo.

No atual momento, Fernando Diniz soma 36 jogos pela segunda passagem pelo Fluminense, com 20 vitórias, oito empates e oito derrotas. Por esse prisma, a situação é tranquila, porém no momento de definir a equipe de Diniz apresenta dificuldades.

Logo quando chegou ao Flu, Diniz imprimiu uma sequência de cinco vitórias e dois empates. O técnico queria apagar a primeira passagem pelos maus resultados. A qualidade do futebol voltou e a torcida abraçou ainda mais o time. Porém, posteriormente, o treinador viu sua pior momento do clube. Em cinco partidas, foram três derrotas, uma vitória e um empate. O revés em clássico contra o Flamengo, Juventude e Atlético-GO já colocaram um "ar de desconfiança" sobre até onde o time poderia chegar.

Depois disso, Diniz conseguiu imprimir uma sequência de 13 jogos sem perder. Junto a isso, o sonho dos títulos da Copa do Brasil e do Brasileirão também voltaram, mesmo vendo um Palmeiras impecável em suas partidas. Com festas, a torcida tricolor voltou a "pulsar" o Maracanã.

+ VEJA A TABELA DO BRASILEIRÃO

E novamente um banho de água fria. Uma derrota desastrosa para o Internacional por 3 a 0, no Beira-Rio, ligou o alerta do grupo. Diante do Palmeiras, Diniz se viu na oportunidade de encostar novamente. A equipe teve boa atuação, mas só conseguiu um empate no Maracanã. A sensação era de que poderia chegar.

Os últimos cinco jogos foram totalmente de altos e baixos. Diniz, que é cobrado por um título de expressão, foi eliminado para o Corinthians pela Copa do Brasil. Assim como o técnico, o time também surpreendeu, mostrou reação e venceu o clássico contra Flamengo e Juventude, com atuações consistentes. Porém, as derrotas para Atlético-MG e Atlético-GO cortam a adrenalina das vitórias, o que gerou muitas críticas dos torcedores, pedindo até mesmo demissão do treinador.

Um parágrafo à parte para a insistência de Diniz em determinados jogadores, como Felipe Melo e Caio Paulista. O volante, improvisado na zaga nos últimos jogos, não faz boas atuações e segue sendo criticado pela torcida. Já o atacante, improvisado na lateral esquerda, também não conseguiu agradar. Isto também é um fator de desgaste com os torcedores.

O Fluminense está na terceira colocação, com 51 pontos – 12 a menos que o líder Palmeiras, que pode ampliar essa diferença ainda nesta quinta-feira. Depois de dois jogos fora de casa, Diniz e time reencontram uma torcida desconfiada contra o América-MG, às 18h, neste domingo, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.