Diniz elogia atuação do Fluminense e exalta marca batida por Cano: 'Se tornou um jogador mais completo'


Com mais posse de bola e volume, o Fluminense venceu o Ceará por 1 a 0, no Castelão, e garantiu uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores. Na coletiva, Fernando Diniz analisou o desempenho da equipe e falou sobre mais uma marca alcançada pelo seu artilheiro Germán Cano.

Fernando Diniz - Fluminense
Fernando Diniz - Fluminense

Diniz gostou da atuação do Fluminense (Mailson Santana/Fluminense)

- Acho que a equipe soube jogar muito bem. Não gosto de jogar com o estádio vazio. Prefiro a torcida contra como foi com o Corinthians, que estava lotado, do que jogar um jogo sem torcida. A graça do futebol é a torcida. Eu costumo dizer que tomar cerveja sem álcool é como um estádio sem torcida. Mas a equipe conseguiu se impor tanto na parte da construção, como da marcação - salientou, e em seguida acrescentou:

+ Confira e simule a tabela do Campeonato Brasileiro


- O time reagiu muito rápido na perda da bola, quando teve que fazer os retornos, foi primorosa para poder se defender. Porque é uma equipe que tem jogadores decisivos como é o caso do Vina, Sobral e Cléber. A gente sabia que não podíamos deixá-los soltos - explicou:

- Fiquei muito contente com o desempenho da equipe e o resultado também. Perdemos muitos gols no primeiro tempo, que poderiam fazer falta, mas o que sustentou a equipe foi a capacidade de se defender. Não fizemos gols, mas poderíamos ter tomado. Fomos uma equipe equilibrada - frisou

+ Cano iguala Magno Alves como maior artilheiro do Fluminense em um mesmo ano neste século


Por fim, o comandante tricolor exaltou Cano e disse estar feliz por participar de mais uma marca do argentino. Vale lembrar que o atacante já tem 39 gols na temporada e igualou Magno Alves como o maior artilheiro do Fluminense em uma mesma temporada neste século.

- Um número importante para o Cano. A gente fica feliz em estar participando disso. Muitas vezes em que venho dar entrevista, tenho perguntas sobre o Cano. Tenho uma relação com ele, fácil, muito boa com os jogadores. Quase todos com quem trabalhei na minha carreira. Talvez seja o pilar central do meu trabalho. As boas relações com os jogadores. No desejo de sempre ajudá-los. O Cano, eu estive no Vasco ano passado com ele. Ele estava em um momento difícil, fazia sete ou oito jogos sem marcar gols. E eu falei que comigo ele marcaria gol. Ele dobrou o número de participação no aspecto físico do jogo - disse, antes de emendar:

+ ATUAÇÕES: Arias e Cano se destacam em vitória do Fluminense


- Hoje além de goleador, é um jogador que ajuda muito em todas as partes do campo. Na defesa, no ataque. Dando movimentação, abrindo espaço para os companheiros. Acabou se tornando um jogador mais completo. E isso não diminuiu o potencial dele de fazer gols. Pelo contrário. Os números dele comigo são sempre maiores. Fico muito feliz pelo fato dele estar conseguindo alcançar essas marcas e o meio que ele está conseguindo. O fato dele ser solidário com as pessoas, o time acolhe esse perfil psicológico que o Cano tem. É uma combinação perfeita. Time e ele. É um motivo de alegria estar participando disso - finalizou.