Dinamite teve casamento midiático e perdeu esposa de forma trágica na década de 1980

(Divulgação/Rede Globo)


Na década de 1970, Roberto Dinamite dava seus primeiros passos no futebol, e também no amor. Ainda aos 18 anos, o ídolo vascaíno conheceu a primeira esposa, Jurema Crispim. Em um relacionamento que começou conturbado e durou onze anos, o casal permaneceu junto até a trágica morte da mulher em 1984.

Depois de se conhecerem em um ônibus e começarem a namorar em um baile de Carnaval, Dinamite e Jurema viveram um início de relacionamento como o de Romeu e Julieta, ou seja, com a desaprovação das duas famílias.

+ A despedida de Roberto Dinamite: veja imagens do velório do ídolo do Vasco

Não bastasse a relutância dos familiares, Dinamite revelou que até a torcida vascaína implicava com o relacionamento no início do namoro. Um dos motivos para tanta resistência era a diferença de idade entre os dois: enquanto o ex-atacante tinha alcançado a maioridade recentemente, Jurema havia completado 24 anos, era viúva e mãe de um filho.

Com o tempo, o casal ganhou aprovação da massa vascaína e Jurema se tornou figura fundamental não só na vida pessoal de Dinamite, mas também na carreira. A esposa do craque passou a gerir a carreira do marido e, como empresária, comandou as diversas renovações de contrato com o Vasco e a ida ao Barcelona em 1979.

Fora dos gramados, o casal ainda teve outros dois grandes motivos para comemorar o relacionamento de onze anos: o nascimento das filhas Thalita e Luciana.

+ Gabigol lamenta morte de Roberto Dinamite, ídolo do Vasco: 'Que seus gols e feitos perpetuem'

O estado de saúde de Jurema começou a piorar em 1983, em decorrência de uma doença inflamatória que impediu o pleno funcionamento dos órgãos. Enquanto esperava na fila para receber doação de um transplante de rim, ela realizava sessões de hemodiálise no Rio de Janeiro. Jurema não resistiu e morreu durante uma cirurgia para introdução de um cateter.

O carinho da torcida do Vasco por Jurema se tornou tão grande que diversos torcedores se ofereceram a doar um rim e cinco mil compareceram ao enterro da esposa do ídolo vascaíno, de acordo com reportagem da "Revista Placar". No jogo seguinte à morte da empresária, o placar eletrônico do Maracanã exibiu, no duelo entre Vasco e Fluminense, os dizeres: "Jurema, um símbolo, um exemplo".

+ Cafu comparece ao velório de Roberto Dinamite, ídolo do Vasco

Três anos depois da morte da primeira esposa, Dinamite casou-se novamente. Liliane, segunda mulher do ex-atacante, e o craque permaneceram juntos até a morte do ídolo vascaíno. Juntos, tiveram dois filhos: Roberta e Rodrigo.

Roberto Dinamite morreu nesse domingo, aos 68 anos. O ex-jogador travava uma batalha contra um câncer no intestino desde o fim de 2021 e estava internado desde sábado no Hospital da Unimed, na Barra da Tijuca. Além de ter marcado época como jogador do Gigante da Colina, Dinamite teve dois mandatos como presidente do clube, entre os anos de 2008 e 2014.