Dinamarca-Suécia não terá jogadores da Premier League devido a mutação do coronavírus

·2 minuto de leitura
O goleiro da Dinamarca, Kasper Schmeichel, não estará disponível para o amistoso de quarta-feira contra a Suécia
O goleiro da Dinamarca, Kasper Schmeichel, não estará disponível para o amistoso de quarta-feira contra a Suécia

O amistoso marcado para quarta-feira em Copenhague entre Dinamarca e Suécia não contará com os jogadores que disputam a Premier League, devido às restrições britânicas postas em prática após uma mutação genética do cornavírus  potencialmente problemática detectada no vison da Dinamarca, um animal utilizado na indústria de peles. 

"Temos sete jogadores que devem ficar na Inglaterra e tivemos que convocar outros nove para o jogo contra a Suécia", explicou a Federação Dinamarquesa de Futebol (DBU) à AFP nesta segunda-feira. 

A federação sueca anunciou no domingo que cinco dos jogadores de sua seleção não poderiam participar da partida pelos mesmos motivos. 

Londres disse no sábado que as pessoas vindas da Dinamarca que entrassem em seu território seriam colocadas em isolamento.

Pela equipe dinamarquesa; Kasper Schmeichel (Leicester), Jonas Lössl (Everton), Andreas Christensen (Chelsea), Jannik Vestergaard (Southampton), Henrik Dalsgaard (Brentford), Mathias Jensen (Brentford) e Pierre-Emile Højbjerg (Tottenhamn) não poderão jogar. 

Do lado sueco; Victor Lindelöf (Manchester United), Robin Olsen (Everton), Emil Krafth (Newcastle) e Ken Sema (Watford) vão perder a partida, assim como Filip Helander, que joga pelo Glasgow Rangers na Escócia. 

"Se os jogadores tiverem de fazer uma quarentena de mais de cinco dias após a concentração da equipe, não há obrigação por parte dos clubes de liberar os jogadores", disse a federação sueca em um comunicado. 

"Os clubes vão liberar os jogadores para os outros dois jogos, contra a Croácia e a França", em 14 e 17 de novembro, acrescentou.

A Dinamarca anunciou na semana passada a identificação de uma mutação problemática do coronavírus dos visons, que poderia ameaçar a eficácia de uma futura vacina e que havia sido detectada em uma dezena de pessoas em setembro. 

As autoridades anunciaram que iriam sacrificar os visons do país, entre 15 e 17 milhões, após descobrir essa mutação transmissível ao ser humano. 

Além disso, o acesso a uma parte do noroeste do país foi fechado. No momento, nenhum outro caso foi detectado em humanos. 

Depois de enfrentar a Suécia, a Dinamarca recebe a Islândia em Copenhague no domingo e viaja para a Bélgica no dia 18 de novembro, nos últimos dois jogos da Liga das Nações.

cbw/map/pm/aam