Diferente de 2016, Palmeiras chega à Libertadores vindo de vitórias

O Palmeiras inicia sua caminhada na Libertadores de 2017 na próxima quarta-feira, diante do Atlético Tucumán, da Argentina, fora de casa. A expectativa da torcida é grande quanto a uma boa campanha no torneio, principalmente após as contratações de peso realizadas para a temporada.

E se levar em conta os resultados conquistados antes de estrear na competição continental, em comparação com a última participação do Verdão, em 2016, a esperança é ainda maior para o clube do Palestra Itália.

No ano passado, o Palmeiras fez má campanha, caindo na fase de grupos da Libertadores. Antes da estreia no torneio, contra o River Plate-URU fora de casa, em duelo que terminou 2 a 2, o time, à época comandado por Marcelo Oliveira, vinha de três jogos sem vencer: dois empates e uma derrota, todos pelo Campeonato Paulista.

Na ocasião, a equipe havia empatado contra São Bento, por 2 a 2, e Oeste, por 0 a 0. No último compromisso antes de embarcar para o Uruguai, o time decepcionou em pleno Palestra Itália, perdendo por 2 a 1 para o Linense, aumentando a pressão sobre Oliveira.

Em 2017, Eduardo Baptista chega em situação melhor. A equipe, apesar de ter sido derrotada em clássico para o Corinthians, atuando com um a mais em grande parte do jogo, vem de dois triunfos consecutivos, sobre Ferroviária (4 a 1) e Red Bull Brasil (3 a 1).

Para melhorar a situação, o colombiano Borja, contratado para ser o homem-gol da equipe, começou correspondendo às expectativas, e deixou sua marca nas duas partidas, mesmo vindo do banco de reservas em ambas.