Diego Ferreira promete "pressão" em Pettis: "Seria bom testar o jiu-jitsu dele"

Em grande fase no Ultimate, com cinco vitórias seguidas, Diego Ferreira terá um teste de fogo pela frente daqui a 17 dias. O brasileiro encara Anthony Pettis, no UFC 246, em Las Vegas (EUA). O ‘Showtime’ é conhecido por um estilo singular de luta, com golpes acrobáticos e inesperados. Ciente disso, o brasileiro sabe o que precisa fazer para sair com mais um triunfo e pretende explorar o considerado “ponto fraco” do oponente.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o peso-leve (70 kg) adiantou que pretende seguir uma linha de atuação que alguns lutadores fizeram e deu certo contra o americano. Quando é encurralado e colocado sob pressão, acaba sem espaço para poder desferir seus golpes. É dessa maneira que o brasileiro visa anular o jogo do ex-campeão da categoria.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Não posso deixar ele correr tanto na grade, de se movimentar. Com a pressão ele para um pouco, mas treinamos do jeito que temos, meus treinadores e parceiros estão bem cientes disso. A pressão vai ser para ele parar de correr muito, é um cara acrobático. Então vou pará-lo. Preciso trabalhar bem essa parte do jiu-jitsu e quero ver como é esse jiu-jistu dele, que é bem afiado. Seria bem bacana. Vi muito ele finalizar, já estive em um evento em que ele finalizou o Melendez, é um cara perigoso. Seria bom testar o jiu-jitsu dele”, afirmou.

Além do fato de enfrentar um ex-campeão da organização, este combate marcará um feito inédito na carreira do atleta tupiniquim. Vai lutar no dia em que completa 35 anos e já sabe o que precisa fazer para ter seu presente.

“Já lutei perto do meu aniversário, mas nunca no dia (risos). O presente que espero é sempre dar meu melhor, tudo que tenho para sair com essa vitória. É meu maior presente. É sair na porrada com ele. Penso 24 horas como ele pode me atacar, como ele pode fazer aqueles golpes, mas estou feliz. Mas é muito legal lutar no meu aniversário, em Las Vegas, é um presente bem grande”, disse.

Apesar da grande fase no Ulltimate, Diego Ferreira ainda não está entre os 15 primeiros do ranking da categoria. No entanto, o brasileiro sabe que uma vitória sobre Pettis pode fazê-lo quebrar essa barreira e se colocar entre os melhores dos leves.

“Olho como se fosse mais uma luta. Mas claro que é uma boa para eu subir no ranking. Tenho que botar na minha cabeça que toda luta tem sua pressão. Fico bem focado por isso. Mas não ligo para essa questão de mídia, tento focar mais em mim, na parte física e mental antes de tudo”, contou.

Há mais de cinco anos no UFC, Carlos Diego Ferreira tem um cartel de 16 vitórias e apenas duas derrotas. A sua última apresentação aconteceu em setembro de 2019, quando derrotou Mairbek Taisumov por decisão unânime dos jurados.

Leia também