Diego, camisa 10, lidera volta triunfal do Flamengo ao Maracanã.

É sempre bom esperar o fim do filme. No futebol idem. Quem viu o primeiro tempo jamais poderia esperar desfecho semelhante no Maracanã.

O torcedor do Flamengo, ainda que o momento exija cautela, saiu do estádio em êxtase.

4 gols no segundo tempo. Gols bonitos e com a marca de Diego, o camisa 10. Como seria bom se o maestro do Flamengo deixasse de lado a 35 e passasse a usar somente a 10. Combina muito mais.

Se Diego brilhou não dá para dizer o mesmo do peruano Guerrero em noite infeliz. Ele porém segue com crédito.

O que seu viu em campo no primeiro tempo foi um Flamengo tímido e ainda sentindo os efeitos da derrota nos pênaltis para o Fluminense.

Já com o espírito da Libertadores incorporado no segundo tempo, abriu o caminho da goleada com um belo gol de falta.

A vitória, é bem verdade, foi facilitada pelo condicionamento físico que beirou o amadorismo do San Lorenzo.

Veio o segundo, terceiro, quarto e o Flamengo só não marcou mais porque não quis.

Mas foi de bom tamanho. Ótimo e acima da expectativa para a estreia, convenhamos.

O time retribuiu em 45 minutos a linda festa e o apoio proporcionado pelos 50 mil apaixonados e saudosos torcedores no Maracanã.

Combinação perfeita.