Diante do Botafogo, Palmeiras tem recorde de uso da base no século 21

LANCE!/NOSSO PALESTRA
·2 minuto de leitura


No empate do Palmeiras diante do Botafogo, em 0 a 0, na noite deste domingo (18), foram a campo oito jogadores oriundos das categorias de base do Verdão entre os 11 titulares.

Na formação inicial, apenas o goleiro Weverton, o zagueiro Kuscevic e o lateral-esquerdo Viña não eram formados no clube. Desta maneira, o zagueiro Renan, os laterais Vanderlan, Gustavo Garcia e Lucas Esteves, os meias Fabinho e Giovani, além dos atacantes Wesley e Rafael Elias, juntos, impuseram o novo recorde de Crias da Academia na escalação deste século.

O recorde superou o antigo número, de sete formados no clube em uma mesma escalação. O feito havia sido atingido na terceira rodada do Campeonato Paulista de 2021, no empate por 1 a 1 contra o São Bento. Além de 2021, a última vez que o Verdão havia mandado sete a campo, todos oriundos da base, aconteceu em 2000. Na ocasião, empate por 1 a 1 com o Rio Branco, com Gilvan, Taddei, Thiago Matias, Ferrugem, Paulo Assunção e Juliano.

Com 46% do elenco profissional composto por atletas que já passaram pelas categorias de formação, o Palmeiras coleciona boas estatísticas de utilização da base durante o biênio 2020/21.

Até aqui, em todos os jogos desta temporada o clube teve presença de pratas da casa. Ao todo, 14 foram a campo, além de mais quatro nomes que ficaram no banco, e aguardam suas estreias na equipe principal. Além disso, 61% da lista de inscritos do Palmeiras na Libertadores é composta por jogadores que desde cedo frequentam a Academia de Futebol.

Em 2020, o Verdão teve pelo menos um jovem em campo em todas as partidas das caminhadas rumo aos títulos da Libertadores, da Copa do Brasil e Campeonato Paulista. Fora as campanhas que culminaram em títulos, entre os 79 jogos disputados na temporada, apenas uma não houve Cria da Academia. A situação ocorreu no empate por 1 a 1 diante do Grêmio, pelo segundo turno do Campeonato Brasileiro.