Dia Nacional do Futebol: jornalistas da TNT Sports falam da sua paixão pelo esporte

·4 minuto de leitura


Na série Galera FC, exibida na TNT e agora disponível na HBO Max, Elton Jr., personagem de Maicon Rodrigues, quer pendurar as chuteiras. Na vida real, o ator é apaixonado por futebol, assim como a apresentadora Taynah Espinoza, os narradores André Henning, Jorge Iggor, Luis Felipe Freitas e os comentaristas, Vitor Sérgio Rodrigues e Mauro Beting da TNT Sports, que convivem diariamente com o esporte muito além do trabalho.

+ Veja a tabela do Brasileirão e simule!

- Eu já joguei futebol, na verdade. Eu tenho muitos amigos que jogam futebol, alguns profissionais, morando até fora do Brasil, outros jogam aqui. Usei isso para poder construir visualmente o estilo de quem é esse cara - comenta o ator Maicon Rodrigues sobre sua relação com o futebol.

Já o time da TNT Sports tem uma ligação ainda mais próxima com o futebol. Mauro Beting, jornalista e comentarista, conta que a paixão pelo esporte começou sem ele saber.

- Quando eu chutei a barriga da minha mãe pela primeira vez. E não parei mais. Mesmo como goleiro. Como vi que era ruim de bola, fui falar. Escrever. Estudar futebol. Por isso sou jornalista esportivo há 31 anos. Por amar meu clube e o nosso futebol há 54. Desde o útero - comenta o palmeirense, que destaca sua primeira lembrança em um estádio.

- O primeiro jogo que Beting assistiu em um estádio foi Palmeiras contra Vasco, no Pacaembu, em 1973. O jogo ficou no 0 x 0, mas nunca vou esquecer as luzes do mais lindo estádio de espírito que já vi. O futebol é a melhor imperfeição criada pelo ser humano. Pode ser injusto, excludente, irracional, mas ensina que a vida é muito mais empates do que vitórias e derrotas. O futebol nos ensina a amar incondicionalmente. A respeitar outros credos e cores - disse.

- A minha paixão pelo futebol começou com a paixão pelo rádio. Primeiro me encantei pelo veículo, pela locução, pela linguagem e como os narradores criavam imagens na nossa mente. Depois me apaixonei ainda mais pelo esporte, pelas camisas, pelos ídolos. Mas o rádio teve um papel muito grande na minha formação, e depois a TV - conta o narrador Jorge Iggor.

Para o jornalista André Henning, o rádio também teve um papel importante.

- Como morava fora do Brasil quando garoto, era por meio do rádio que meu pai ouvia futebol. E eu cresci com aquele negócio falando de futebol na cabeça. Era uma maneira de estar ‘perto de casa’ pelas ondas do rádio. Fui muito ao estádio quando garoto. Minhas férias eram dentro do estádio de futebol. Tudo que construí na minha vida veio do esporte, em especial do futebol. Sou um fã e me sinto um privilegiado de narrar futebol para tantos outros fãs também - disse.

No caso da Taynah Espinoza, a paixão veio de família, mesmo. Além disso, para a apresentadora o esporte ensinou muitos valores, como dedicação, sobre diferenças culturais e econômicas da sociedade

- Meu tio era técnico de futebol, meu pai treinava um time de moleques de futsal onde meu irmão jogava, então eu cresci dentro do ginásio gritando e torcendo”, conta a jornalista. (O futebol) junta emoção, amor, diversão e às vezes ensina que perder faz parte da vida. É o ensinamento que todos nós, jornalistas e fãs, deveríamos aprender com o esporte. Perder é do jogo e não faz ninguém melhor ou pior pessoa - destaca a jornalista que é sobrinha de Valdir Espinosa, ex-treinador que morreu em fevereiro de 2020.

As primeiras lembranças do comentarista Vitor Sérgio Rodrigues sobre futebol são diretamente ligadas a um estádio.

- Ir ao Maracanã e ver jogos com o meu pai foi algo que me fez me apaixonar por futebol. Depois, foi a magia que o futebol do Zico criou no imaginário daquele garoto de 5, 6 anos. O futebol é parte vital da minha formação como homem e como profissional - comenta.

A família do narrador Luis Felipe Freitas também é responsável por sua paixão pelo futebol.

- Meus pais, irmãos e primos sempre praticaram esportes. O futebol veio desde muito cedo. Tenho fortes lembranças de jogar bola antes e depois dos jogos da Copa de 94. Amigos e familiares se reuniam lá em casa para torcermos pela Seleção e isso foi muito marcante. Tinha apenas seis anos e foi muito especial ter vivido aquele momento de retomada da Seleção. Tenho certeza que isso e os acontecimentos, bons e ruins, do meu time, contribuíram demais para minha paixão pelo esporte - destaca.

Foi jogando futebol na rua, com os amigos de infância, que o narrador André Felipe descobriu a paixão pelo esporte.

- É um espaço onde sonhos se realizam. E para os fãs são esses momentos que ficam eternizados. Desde guardar uma lembrança de um momento de glória, ou de um dia desejar ser um jogador(a) de futebol e até mesmo de jogar uma pelada com os amigos no final de semana. Ou jogar futebol na rua sem compromisso valendo um refrigerante. E isso é a materialização de tudo o que significa futebol: momentos marcantes de alegria e de simplicidade - conclui.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos