Dia amargo para Nadal no Aberto da Austrália; Swiatek segue em busca do título

O tenista espanhol Rafael Nadal, atual campeão do Aberto da Austrália, se despediu do primeiro Grand Slam do ano nesta quarta-feira com uma derrota e uma lesão, enquanto a líder do ranking da WTA, Iga Swiatek, segue na disputa do torneio.

Acostumado a façanhas históricos, como a virada há um ano para levar o troféu, o espanhol de 36 anos foi eliminado por 3 sets a 0 (6-4, 6-4, 7-5) pelo americano Mackenzie McDonald, número 65 do mundo e sofreu sua terceira lesão consecutiva em um Grand Slam.

"Não posso dizer que não estou destruído mentalmente no momento porque estaria mentindo", disse em coletiva de imprensa após partida, na qual o tenista estava bastante abalado e com a voz embargada.

Constantemente perseguido por lesões, Nadal garantiu que quer "continuar jogando tênis" sem dar "dar um passo para trás". Mas “o copo enche e chega uma hora que a água pode transbordar”, acrescentou.

Faziam sete anos, desde que perdeu para o compatriota Fernando Verdasco na primeira rodada em Melbourne em 2016, que Nadal não se despedia tão cedo de um dos quatro Grand Slams do circuito.

- "Não queria me aposentar" -

Mackenzie McDonald tinha apenas uma vitória na carreira contra um dos cinco primeiros no ranking da ATP, havia prometido uma partida "memorável" e cumpriu. O americano, de 27 anos, quebrou o saque de Nadal no primeiro game e cresceu na partida para neutralizar todos os ataques do espanhol.

Preocupado com seus erros e com o juiz de cadeira, a quem pedia mais tempo entre os saques, Nadal levou a pior no primeiro set e começou o segundo perdendo por 2-0.

O espanhol então reagiu variando seus ataques, subindo mais à rede, o que conseguiu segurar McDonald. Porém, no oitavo saque, se machucou tentando alcançar uma direita do americano.

Nadal imediatamente sentiu e apontou para o quadril esquerdo, indicando o que aparentava ser uma dor no "púbis", disse à sua equipe técnica na arquibancada.

O jogador saiu de quadra por alguns minutos para receber atendimento médico, enquanto as câmeras mostravam sua mulher também muito emocionada.

Mal conseguindo correr ou acertar um ataque, o espanhol resistiu em quadra e lutou até o fim do terceiro set.

"Não queria me aposentar sendo defensor do título aqui", disse, lamentando a possibilidade de não ser campeão na edição atual. Sua eliminação, no entanto, deixa o sérvio Novak Djokovic como um dos favoritos a erguer o troféu do torneio e igualar seu recorde de 22 Grand Slams.

- Favoritos avançam -

O resto do dia em Melbourne Park foi impactado pela chuva, que pelo segundo dia consecutivo obrigou ao adiamento dos jogos ao ar livre para o período da tarde.

Mas as principais partidas do dia puderam ser disputadas nas três quadras cobertas, incluindo a da número 1 do mundo, a polonesa Iga Swiatek, que venceu a colombiana Camila Osorio (N. 84) com parciais de 6-2, 6-3.

Insegura no início, a colombiana só conseguiu vencer seu primeiro game quando o placar já marcava 4-0 para Swiatek, que mais uma vez mostrou sua qualidade para seguir em busca de seu quarto Grand Slam.

"Foi muito mais difícil do que o resultado mostra. Foi muito intenso fisicamente e a Camila não me deu muitos pontos de graça", disse a polonesa.

As outras favoritas na chave feminina também foram avançaram, como a americana Jessica Pegula (N. 3), a grega Maria Sakkari (N. 6) e Coco Gauff (N. 7), que passou pela britânica Emma Raducanu, campeã de Wimbledon em 2021.

Já na chave masculina, o russo Daniil Medvedev, finalista em 2021 e 2022, venceu o australiano John Millman (7-5, 6-2, 6-2) e o grego Stefanos Tsitsipas, três vezes semifinalista em Melbourne, levou a melhor sobre o também local Rinky Hijikata (6-3, 6-0, 6-2).

Dois dos novos talentos do circuito também avançaram: o canadense Felix Auger-Aliassime, que bateu o eslovaco Alex Molcan (6-3, 6-3, 3-6, 2-6, 2-6), e o italiano Jannik Sinner, que não deu chances para o argentino Tomás Etcheverry (6-3, 6-2, 6-2).

dbh/zm/yr/cb